Paraciclista de Santos celebra evolução em 2018: "Muito feliz pela temporada"

Marcia Fanhani conquistou Pan-Americano, o tetra do Campeonato Brasileiro e disputou dois Mundiais

Por: Diego Palma  -  25/12/18  -  11:56
Marcia agora vive expectativa para Pan e Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Marcia agora vive expectativa para Pan e Jogos Olímpicos de Tóquio 2020   Foto: Divulgação

Com o fim do calendário esportivo de 2018, a paraciclista Marcia Fanhani se despediu da temporada com a sensação de dever cumprido.


Em conversa com A Tribuna On-line, a paratleta da Equipe Memorial Santos analisou o ano e comemorou a evolução do seu desempenho nas pistas.


“Estou muito feliz com o ano que fiz. Foi uma temporada muito bacana e produtiva, percebo que estou evoluindo cada vez mais. Participei de dois mundiais e um Pan-Americano”, analisou.


Fanhani classificou 2018 como um ano muito mais produtivo do que o anterior. “Cada ano eu venho subindo um degrau. Nesta temporada percebi que a evolução foi bem bacana e dentro do esperado. Foi um ano de muitas conquistas onde tudo deu certo. Graças a Deus conseguimos cumprir os objetivos propostos”, explicou.


Márcia tem motivos de sobra para comemorar 2018. Nesta temporada, ela conquistou o Pan-Americano de Estrada e o tetracampeonato brasileiro de paraciclismo ao vencer as provas de ciclismo de estrada e contra o relógio.


Além das provas de estrada, Marcia também compete em pistas
Além das provas de estrada, Marcia também compete em pistas   Foto: Divulgação

Questionada sobre o que mais lhe marcou nesta temporada, ela contou sobre as experiências vividas nos mundiais da categoria.


“O que mais me marcou foram os dois Mundiais (Rio de Janeiro e Itália). No Brasil fiquei em sexto lugar. Também escolho a Itália pela mistura de sensações que vivi. Eu estava feliz por estar competindo no exterior, mas acabei ficando triste no final. Minha corrente caiu quatro vezes e atrapalhou meu desempenho na prova. Aquilo me frustrou muito. Mesmo com esse problema, creio que foi a melhor prova internacional que eu fiz até hoje. Agradeço a Camila Coelho (piloto auxiliar)”, contou.


Planejamento para o futuro


Fanhani contou que 2019 será um ano de muitas competições e de ‘agenda apertada’.


“Bom, os planos para 2019 são de seguir com os treinos e evoluir cada vez mais. O calendário está puxado (risos). Tenho o Mundial de Pista (Holanda), primeira etapa da Copa Brasil de Paracilcismo, Copa do Mundo (Bélgica), Mundial (Itália) e o Pan-Americano (Peru)”, revelou.


Por ter deficiência visual, Marcia tem uma piloto lhe auxiliando nas provas
Por ter deficiência visual, Marcia tem uma piloto lhe auxiliando nas provas   Foto: Divulgação

Na parte final do bate-papo, a santista foi questionada sobre o que ela pensa sobre o Pan e os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Ela mostrou estar otimista para as duas competições.


“Todo atleta sonha disputar o Parapan e (Paralimpíadas) Tóquio. Espero poder estar afiada (risos) para pode competir. Meu sonho é trazer essa medalha internacional. Estou com bons pensamentos. Já fui para as Paralimpíadas em 2016 (Rio de Janeiro), então vou para Tóquio mais madura e tenho certeza de que vai dar tudo certo. Não é apenas um sonho é uma meta traçada”, completou.


Logo A Tribuna