Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Dois anos depois, Victor Colonese receberá medalha de bronze do Pan de Lima

Nadador da Unisanta herdou conquista nos 10km das maratonas aquáticas; cerimônia terá transmissão do Canal Olímpico do Brasil

Por: Por ATribuna.com.br  -  26/01/21  -  10:50
Atualizado em 26/01/21 - 10:59
Victor Colonese vai disputar seletiva para representar o Brasil no Mundial
Victor Colonese vai disputar seletiva para representar o Brasil no Mundial   Foto: Divulgação

Quase dois anos após o fim doJogos Pan-Americanos de Lima 2019, o nadadorVictorColonese, atleta daUnisanta, receber a medalha de bronze da competição a unir as Américas.O nadadorherdou a medalha de bronze nos 10km das maratonas aquáticasapós a desclassificação do argentino GuillermoBertolão, então segundo colocado, que cometeu uma infração nas normas de controle antidopagem da Federação Internacional de Natação (FINA).


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O nadador de 28 anos, que havia terminado em quarto lugar na competição, com o tempo de 1:54.03.6, ganhou uma posição na classificação final a punição ao atleta argentino.A cerimônia acontece nesta sexta-feira, 29, ao meio-dia, no consistório da Universidade Santa Cecília (Unisanta). O evento será transmitido ao vivo pelo Canal Olímpico do Brasil (https://www.canalolimpicodobrasil.com.br/).


“Essa medalha tem um gostinho especial principalmente pela importância dos Jogos Pan-Americanos, uma das maiores competições que a gente tem a nível internacional, e consegui essa conquista logo na minha primeira participação, igualando o melhor resultado do Brasil nessa prova no masculino”, disse o nadador, que representa aUnisantahá 11 anos, relembrando a conquista de Allan do Carmo no Rio 2007.


“É uma situação diferente. Vou subir ao pódio sozinho, mas estou feliz porque é praticamente uma homenagem para mim. Não tenho ideia de como será, mas é uma honra que a cerimônia aconteça no clube onde tenho uma bela história”, contouColonese, que se formou engenheiro de produção pelaUnisantaem 2020.


A decisão da realocação da medalha foi confirmada no dia 1° de julho de 2020, após o Comitê Olímpico do Brasil (COB) receber um comunicado oficial da Panam Sports, entidade máxima do esporte no continente, anunciando que a suspensão deBertolapela FINA implicava a anulação de seus resultados nas temporadas 2018 e 2019.


Essa é a segunda medalha em competição oficial que o Brasil herda durante a pandemia. A primeira foi da prata olímpica de Cláudio Roberto em dezembro do ano passado.


“A entrega dessa medalha para oColoneserepresenta o reconhecimento do trabalho duro, da dedicação e da persistência. O COB fica muito satisfeito com o reconhecimento desse atleta que agora coloca seu nome entre os medalhistas de uma competição tão relevante para o Brasil como os Jogos Pan-Americanos”, disse Rogério Sampaio, diretor-geral do COB.


Com mais essa conquista, o Brasil passa a ter 169 medalhas na classificação final de Lima 2019: 54 ouros, 45 pratas e 70 bronzes. Foram três pódios nas maratonas aquáticas: além do bronze deColonese, Ana Marcela Cunha foi campeã da prova feminina e VivianeJungblut, terceira colocada.


“Essa medalha, que chega num momento de dificuldade e de incertezas para os atletas, vem mostrar que todo trabalho duro tem uma recompensa. Não podemos desistir nunca. É a coroação do trabalho que venho fazendo durante os últimos anos e me motiva a continuar treinando, evoluindo, e a marcar meu nome na história”, concluiuColonese.


Conquistas


Além do bronze no Pan-Americano de Lima, no Peru (2019), Colonese sagrou-se campeão Brasileiro de Maratonas Aquáticas (5km e 10km), em 2018 e 2015. Ganhou três medalhas no Sul-Americano do Peru, sendo ouro por equipes e duas pratas (5 e 10km), em 2018. Disputou quatro campeonatos mundiais de Desportos Aquáticos da FINA (2011, 2015, 2017 e 2019) e participou de três mundiais universitários (2011, 2013 e 2017). Como 3º sargento do Exército Brasileiro, obteve a 5ª colocação nos Jogos Mundiais Militares (10km), em Wuhan, China, em 2019.


Logo A Tribuna