Cunha e Ballaris têm as maiores rejeições em Praia Grande, diz IPAT

A maioria dos ouvidos não soube informar se recusaria algum nome na disputa ao Executivo de Praia Grande

Com o nome já experimentado nas urnas, Alexandre Cunha teve o maior índice de rejeição no levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT). Ao menos 7,2% dos ouvidos disseram não optar pelo candidato da legenda Republicanos para o cargo de prefeito de Praia Grande. A vereadora Janaina Ballaris (PL) foi a segunda mais citada nesse recorte, com 5,3%. A maioria, contudo, não soube informar se recusaria algum nome na disputa pelo Palácio São Francisco de Assis, sede do Executivo de Praia Grande.

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

Alexandre Comin (Pode), 4,8%, Raquel Chini (PSDB), 4,3%, e Danilo Morgado (PSL), com 2,7%, fecham a lista dos cinco primeiros colocados. Não sabe foi a opção para mais da metade do eleitorado (51,5%). Não rejeita nenhum dos concorrentes somou 14,2% e todos os nomes teve a adesão 7,2%.

Em meio ao risco de contágio por Covid-19, 86% dos ouvidos pelo IPAT afirmaram comparecer às urnas, no dia 15 de novembro, quando será realizado o primeiro turno. Outros 9,1% indicaram dúvidas quanto ao comparecimento à seção eleitoral e 4,9% não pretendem participar das eleições que vão definir o próximo prefeito e a nova composição da Câmara Municipal.

O IPAT ouviu, a pedido de ATribuna.com.br, 600 eleitores de Praia Grande no dia 21 de setembro, levando em conta a população proporcional de cada bairro.  

O intervalo de confiança do levantamento é estimado em 95%, com margem de erro estatístico de 3,8 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral, como número de identificação SP-04550/202.

Tudo sobre: