Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Usiminas mostra força nas ações sociais

De administração de hospital a apoio ao esporte e à cultura, empresa caminha ao lado da comunidade

Por: Conteúdo Patrocinado  -  12/01/21  -  10:48
  Foto: Matheus Tagé/AT

As indústrias foram responsáveis por 22% do Produto Interno Bruto (PIB) do país no ano passado. Mas é na atuação social que essas grandes companhias vêm, de fato, se destacando. Essas empresas fazem a diferença na vida de milhares de pessoas que vivem em comunidades vizinhas às suas operações. Em casos específicos, como o da Usiminas, vão além da vizinhança.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Em 1993 a Usiminas criou o Instituto Usiminas para realizar uma gestão dedicada às iniciativas culturais e esportivas. Quando no Brasil o assunto “responsabilidade social” ainda era novidade, a Usiminas já estava à frente de seu tempo, utilizando a arte para transformar vidas e construir caminhos.


  Foto: Matheus Tagé/AT

“O apoio ao esporte e à cultura são fundamentais para o desenvolvimento das comunidades e a Usiminas, por meio do Instituto, trabalha em parceria com os municípios, buscando projetos para que possamos contribuir com a continuidade das iniciativas”, afirma a diretora Corporativa de Comunicação e Relações Institucionais da Usiminas, Ana Gabriela Dias Cardoso.


“Apoiamos cultura, esporte e nos colocamos como uma instituição na qual cabem todas as linguagens e interlocuções: arte, educação, meio ambiente, arte-cultura, arte-educação, educação ambiental e apoio a projetos sociais diversos”, ressalta Penélope Portugal, diretora do Instituto Usiminas. Na Baixada Santista, a instituição foi responsável por um aporte de R$ 6 milhões em 38 projetos culturais, esportivos e sociais por meio das leis de incentivo de 2015 para cá.


É com esse apoio que projetos como o Bola Açucarada se tornam possíveis. São aulas de voleibol e futsal destinadas a 200 crianças e adolescentes das escolas da rede pública de Cubatão.


A pandemia obrigou a mudança em alguns projetos sociais. Entre eles os da Associação Sócio-Cultural e Educacional Zabelê, uma iniciativa que oferecia, gratuitamente, oficinas de dança, música, teatro e artes visuais para 84 crianças e adolescentes do bairro Mantiqueira, em Cubatão. Com o apoio da Usiminas, a Associação abriu novas oportunidades para a comunidade. Se não tem oficina, há confecção de máscaras de proteção. "Temos o grupo de empreendedoras, mães das crianças, jovens e adolescentes, com foco em roupas e acessórios produzidos com tecidos africanos e inspirados nas culturas populares brasileiras e afrobrasileiras. Como a produção parou, direcionamos essas mulheres para a confecção de mais de 14 mil máscaras, sob encomenda da Usiminas. Isso gerou renda para as mulheres, a maioria responsável pelos lares", diz a coordenadora da Associação, Juliana Clabunde.


Na Associação Sócio-Cultural Zabelê, costureiras confeccionaram, durante a pandemia, mais de 14 mil máscaras
Na Associação Sócio-Cultural Zabelê, costureiras confeccionaram, durante a pandemia, mais de 14 mil máscaras   Foto: Matheus Tagé/AT

Circuito Comunidade


O Circuito Comunidade é outra iniciativa para levar aos bairros de cidades onde a Usiminas tem atuação atrações culturais em um carro de som. Em Cubatão, a ação foi realizada nos dias 18 e 25 de outubro, com o grupo Forró com Camarão de Bonito. Além da atração musical, foram distribuídas mudas de árvores como forma de agradecimento e incentivo à preservação do meio ambiente. A ação fez parte das comemorações dos 58 anos da Usiminas. “Levamos o forró, que tem identificação com Cubatão. Casamos a ação com a distribuição de mudas”, diz Penélope Portugal.


Hospital


A Fundação São Francisco Xavier (FSFX), o braço social da Usiminas nas áreas de saúde e educação, completou 51 anos no último mês de dezembro, e é reconhecida, em Minas Gerais, pela qualidade do serviço que oferece, seja no SUS ou para redes conveniadas na região do Vale do Aço, interior mineiro. A entidade chegou à Baixada Santista em dezembro de 2017, quando assumiu a administração do Hospital de Cubatão, até então fechado. Hoje, a unidade é referência no atendimento regional da rede pública de saúde e tem um trabalho de destaque no combate à pandemia do Novo Coronavírus.


Logo A Tribuna