Vice-prefeito de Santos recebe caminhoneiros após manifestação para tentar fechar acordo

Categoria terá reunião com o prefeito Paulo Alexandre Barbosa. Caminhoneiros permanecem no terreno até encontro

Por: Yasmin Vilar & De A Tribuna On-line &  -  20/02/19  -  15:00
Decisão do impasse com caminhoneiros é adiada para quinta-feira
Decisão do impasse com caminhoneiros é adiada para quinta-feira   Foto: Carlos Nogueira/AT

Integrantes do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam) se reuniram, na manhã desta quarta-feira (20), com representantes da Prefeitura de Santos para tentar chegar a um acordo sobre o impasse referente ao estacionamento localizado no bairro Bom Retiro. Durante o encontro, ficou decidido que os manifestantes permaneceriam no terreno até o encontro marcado para a próxima quinta-feira (21), às 12h, com o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.  


Ao lado do secretário de Governo, Rogério Santos, o vice-prefeito da cidade, Sandoval Soares, recebeu os representantes dos caminhoneiros, entre eles o presidente do Sindicam, Alexsandro Viviani. A reunião na prefeitura teve duração de 40 minutos - das 9h50 às 10h30 -, e a Administração Municipal informou que realizará uma medida provisória para atender a classe. "Em reunião com o Secretário de Segurança foi definido que os caminhoneiros poderão continuar no terreno até o encontro com o prefeito, que está previsto para amanhã”, explicou Rogério Santos.


O representante da Secretaria de Governo explica que uma das intenções da prefeitura é entregar um local adequado para atender o pleito dos caminhoneiros. “A questão dos pátios dos caminhões é um problema antigo na cidade. Queremos proporcionar um espaço onde poderemos oferecer segurança aos caminhoneiros, vestiários e alimentação porque é relevante para a cidade”. Segundo Rogério Santos, cabe ao Governo Federal a regularização do pátio do estacionando, tendo a questão já encaminhada para Brasília por meio do prefeito e deputados federais.



Representante dos caminhoneiros, Viviani define que a decisão irá “acalmar” os manifestantes. "Não queremos causar problemas e nem atrapalhar colegas de fora da cidade. Poderemos ficar lá até amanhã e esperamos que o impasse seja resolvido", relata.


Após o encontro, os caminhões retornaram para o estacionamento do Bom Retiro. “Ninguém está sendo despejado no momento. Retornaremos para o pátio onde ficaremos estacionados até o encontro. Torcemos para que a prefeitura nos ajude perante a Codesp para conseguirmos um novo terreno para os caminhões”, comenta Viviani.



Protesto com carreata


Cerca de 40 caminhões saíram em fila única de um terreno usado como estacionamento, no bairro Bom Retiro, às 8h05 (de Brasília), e seguiram em direção à prefeitura de Santos, no Centro. Antes da saída dos caminhões rumo ao Paço Municipal, a Polícia Militar conversou com os caminhoneiros e pediu para que o protesto fosse pacífico, sem vandalismo.


O trajeto seguiu pela Avenida Martins Fontes, Viaduto Aristides Bastos Machado, São Francisco, Praça José Bonifácio, General Câmara e Prefeitura de Santos. Os caminhões realizaram o trajeto sob supervisão da CET e chegaram na Avenida São Francisco por volta das 9h. Cerca de 30 minutos depois, os 40 carros que saíram do Bom Retiro concluíram o percurso e pararam em frente ao Paço Municipal. 


Após os caminhões estacionarem na Praça Visconde de Mauá, os representantes da classe caminhoneira, incluindo o presidente do Sindicam, Alexsandro Viviani, entraram no Paço Municipal para ter uma reunião com os representantes da prefeitura.


Pátio onde caminhoneiros se concentravam foi desapropriado pela Prefeitura de Santos
Pátio onde caminhoneiros se concentravam foi desapropriado pela Prefeitura de Santos   Foto: Carlos Nogueira/AT

Motivo do protesto


O espaço que servia como estacionamento para os caminhões - que atendem o Porto de Santos -, que fica localizado entre o Morro Ilhéu Alto e o Rio São Jorge, foi desapropriado pela administração municipal, na última segunda-feira (18). O terreno será utilizado para a construção da ponte de ligação entre os bairros Bom Retiro e São Manoel, que também ligará a Zona Noroeste à Via Anchieta.


O local será utilizado, também, como pátio de vigas, durante as obras, o que, segundo a prefeitura, justifica a necessidade da desapropriação imediata. A outra parte do terreno será usada futuramente pela Cohab para a construção do conjunto habitacional denominado Prainha 2.


Logo A Tribuna