Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Três escolas municipais suspendem aulas devido a casos suspeitos de covid-19 em Santos

Os casos suspeitos motivaram a interrupção das aulas presenciais nas Unidades Municipais de Ensino (UMEs) Martins Fontes, Pedro II, e Ilha Diana

Por: Por ATribuna.com.br  -  17/02/21  -  23:42
Atualizado em 17/02/21 - 23:47
Segundo Sindserv, parte dos trabalhadores na Educação seria do grupo de risco da Covid-19
Segundo Sindserv, parte dos trabalhadores na Educação seria do grupo de risco da Covid-19   Foto: Bruno Miani/ Arquivo: AT

Três escolas municipais de Santos suspenderam as aulas presenciais por dez dias por conta de casos suspeitos de Covid-19 entre alunos e professores. A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) informou que essas pessoas estão sendo acompanhadas. Em outras duas unidades da rede pública da Cidade, alunos, professores e outros servidores são monitorados e há uma confirmação da doença, mas as atividades foram mantidas.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Os casos suspeitos motivaram a interrupção das aulas presenciais nas Unidades Municipais de Ensino (UMEs) Martins Fontes, no Morro Penha; Pedro II, na Ponta da Praia; e Ilha Diana, na Área Continental. Os alunos terão atividades on-line por dez dias. O formato híbrido adotado pela Prefeitura prevê aulas presenciais e remotas, seguindo o planejamento de cada modalidade de ensino.


Segundo a Administração Municipal, uma professora que deu aulas presenciais na UME Pedro II, entre os dias 8 e 12, pela manhã, informou que estava com suspeita de covid-19. Por isso, a direção resolveu suspender as aulas presenciais por dez dias, contados a partir de ontem, no período matutino. As aulas presenciais para estas turmas retornam, no esquema híbrido, em 1º de março.


Outro dois casos suspeitos surgiram na UME Martins Fontes. Um professor que atuou na escola de 9 a 10 de fevereiro teve sintomas do coronavírus, assim como um aluno. Testes foram realizados ontem e ainda não há resultados. O grupo escolar, que já estava em aulas on-line desde o dia 11, por conta do esquema híbrido definido pela escola do Morro Penha, foi informado que deve ficar em casa por dez dias.


Na escola da Ilha Diana, uma professora apresentou atestado de sete dias na última segunda-feira, depois de passar pelo médico devido a uma suspeita de covid-19. A suspensão de dez dias também foi adotada na unidade.


Sem suspensão


Já na UME Dino Bueno, no Encruzilhada, uma auxiliar de bibliotecário que não teve contato com alunos testou positivo para covid-19 e não apresenta sintomas da doença. A servidora está afastada das atividades por dez dias, seguindo orientações da Secretaria de Saúde de Santos. Não houve suspensão das atividades.


Por fim, na UME Emília Maria Reis, na Vila Belmiro, são duas suspeitas: uma professora e uma agente de portaria. Eles foram afastados das atividades por 14 dias. Seis crianças da classe, que tiveram contato com a professora, também foram afastadas por duas semanas. Assim como na Dino Bueno, optou-se não paralisar as aulas presenciais.


Monitoramento


A Seduc informa que todos os casos são acompanhados pelo Programa Saúde na Escola, em parceria com a Secretaria de Saúde. Ressalta que as escolas municipais estão seguindo rigorosamente os protocolos sanitários para segurança de alunos, professores e funcionários.


Também houve, desde 29 de janeiro, reuniões promovidas pela Prefeitura para a orientação de pais e responsáveis dos estudantes das 86 escolas municipais sobre o retorno gradual das aulas presenciais e os protocolos sanitários para evitar o contágio pela Covid-19.


*com informações do G1


Logo A Tribuna