EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

21 de Agosto de 2019

Três em cada cinco multas aplicadas, em Santos, são de radares

Pela primeira vez desde 2016, número de punições eletrônicas em Santos supera as aplicadas por agentes, PMs e guardas portuários

Três de cada cinco multas aplicadas em Santos de janeiro a maio deste ano foram registradas por radares. Com isso, pela primeira vez desde 2016, a quantidade de punições eletrônicas supera as aplicadas por agentes de trânsito, policiais militares e guardas portuários. Dirigir acima do limite permitido é o ato campeão de infrações, informa a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Contribui para esse aumento o início da operação de ao menos seis equipamentos na Cidade nos últimos três anos. Segundo o órgão de trânsito santista, os 24 radares espalhados no Município flagraram 56.758 condutores entre janeiro e maio deste ano.

No idêntico período, agentes de CET, Polícia Militar e Guarda Portuária apontaram 42.380 infrações de trânsito. Ou seja, a fiscalização eletrônica foi responsável por 57,25% no total de sanções aplicadas nos cinco primeiros meses do ano.

O resultado atual representa aumento de quase dez pontos percentuais na participação dos radares no total de multas aplicadas. Mostra ainda uma curva decrescente na atuação de agentes de trânsito. Entre janeiro e dezembro de 2018, os radares autuaram 111.645 imprudências, o equivalente a 47,5% das 235.315 sanções. Já a fiscalização manual somou 123.670 (52,5%).

A maior diferença já registrada nas vias santistas deu-se em 2016. Na ocasião, a fiscalização manual foi responsável por quatro em cada cinco sanções – foram 162.026 mil autuações dentro um universo de 203.081. Contudo, todos os radares ficaram desativados entre maio e julho, em razão de nova licitação.
Por meio de nota, a CET-Santos explica que a proporção de veículos multados é de oito para cada 10 mil que passam por trechos monitorados via eletrônica.

“Por mês, cerca de 13 milhões de veículos cruzam os radares de Santos, enquanto 9 mil destes são notificados por terem cometido algum tipo de infração”, detalha o órgão. 

O órgão afirma adotar como medida educativa a instalação de painéis indicando os trechos fiscalizados eletronicamente, apesar de a legislação federal desobrigar a sinalização desse tipo.

Polêmica Nacional

Os números santistas ocorrem em meio à polêmica sobre a utilização desses aparelhos. Em março, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou ter planos para desativar radares de velocidade em rodovias federais. Ele declarou ter engavetado a instalação de 8 mil aparelhos. 

Bolsonaro também deseja acabar com as lombadas eletrônicas pelo País. Contudo, as propostas não constam no projeto de lei encaminhado nesta semana ao Congresso Nacional, que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Apesar de a crítica presidencial ser similar à de parte dos condutores, o maior rigor nas vias urbanas é apontado como uma das medidas mais eficazes para reduzir os acidentes.

O sociólogo e especialista em Segurança Viária Eduardo Biavati diz que a não fiscalização do limite de velocidade fere a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de redução de mortes no trânsito. “Com regras mais flexíveis e menos fiscalização, são esperados o aumento de acidentes e mais letalidade ao volante.”

Campanhas educativas se tornam o foco

Em Santos, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) iniciou, no mês passado, uma campanha educativa de abordagem de condutores flagrados em alguma prática irregular no trânsito. 

Batizada de Educablitz, a ação tenta sensibilizar os condutores das infrações mais comuns, como utilizar celular, trafegar sobre marca de canalização (zebrado) ou ilha (rotatória), parar em fila dupla e estacionar em local proibido.

O motorista abordado recebe um disco interativo ilustrado com as principais regras e sinalizações de trânsito. O agente explica qual a infração cometida pelo condutor, que assina um termo declarando estar ciente da orientação feita e do convite para assistir a uma palestra.

Serviço – Interessados em participar do curso de formação podem fazer a inscrição gratuitamente pelo WhatsApp (13) 99795-5943.