Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Secretária de Educação diz que escolas de Santos seguem abertas após casos suspeitos de coronavírus

Segundo Cristina Barletta, o que ocorre é a interrupção de atividades presenciais por dez dias, nas classes de possíveis infectados

Por: Júnior Batista  -  19/02/21  -  12:19
  Foto: Matheus Tagé/AT

Não há suspensão de aulas nas escolas municipais de Santos. O que ocorre é a interrupção de atividades presenciais, por dez dias, nas classes onde os possíveis infectados por covid-19 possam ter tido contato com os alunos. A informação é da secretária de Educação, Cristina Barletta, um dia após a Prefeitura informar que as aulas deixariam de ocorrer pessoalmente em três colégios onde há pessoas com suspeita da doença.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


ATribuna.com.br noticiou nesta quinta-feira (18), a interrupção das aulas nas unidades municipais de Educação (UMEs) Martins Fontes, no Morro Penha; Pedro II, na Ponta da Praia; e Ilha Diana, na Área Continental. Na quarta-feira (17), em nota, a Administração informou que, na UME Pedro II, “uma professora, que atuou de 8 a 12 de fevereiro ministrando aulas em todas as classes do período da manhã, informou que estava com suspeita de covid-19. A partir dessa informação, a direção da escola decidiu suspender preventivamente as aulas presenciais por um período de dez dias, a partir desta quarta-feira”.


Sobre a Ilha Diana, onde uma professora apresentou atestado de sete dias por suspeita, a Prefeitura disse na nota que “as aulas estão suspensas na unidade”. A respeito da Martins Fontes, onde um professor que atuou na escola entre os dias 8 e 10 e um aluno tiveram sintomas de covid-19, a secretaria informou que “a classe que teve contato com o professor e já estava em aulas on-line desde o dia 11 (...) (e) foi informada de que deve permanecer em casa por dez dias”.


Nesta quinta-feira (18), Cristina disse que, onde houve casos suspeitos, “a sala teve as aulas presenciais suspensas. (...) Não tem escola fechada”,Sobre a UME Pedro II, afirmou que a professora com suspeita não contatou pessoas do período da tarde.


Logo A Tribuna