CLUBE IMPRESSO ACERVO COVID
Santos terá R$ 1,1 milhão para fazer obra em morro
Valor foi liberado pelo Governo Federal e se somará a R$ 520,6 mil dos cofres municipais
Por: Rosana Rife  -  07/05/21  -  19:19
Morro do Pacheco teve um morto nas chuvas de março de 2020. Em toda a Cidade, houve oito vítimas matheus tagé   Foto: Matheus Tagé/AT

O Ministério do Desenvolvimento Regional liberou R$ 1,1 milhão para obras de contenção em encostas no Morro do Pacheco, em Santos. Haverá contrapartida do Município para execução do projeto, no valor de R$ 520,6 mil. No total, os trabalhos custarão pouco mais de R$ 1,6 milhão.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A verba faz parte do pacote de recursos voltado a locais atingidos por deslizamentos provocados pelas fortes chuvas de 2 de março de 2020, quando a Cidade decretou situação de emergência.


Inicialmente, serão feitos serviços de limpeza para visualização da área afetada. Depois, ocorrerão trabalhos de perfuração, instalação dos grampos (barras de aço), colocação de drenos e execução de concreto projetado. Tudo visando a estabilização da encosta.


“A obra prevê sistema de drenagem, porque o que causa o deslizamento é a água. Então, temos de direcioná-la para um local seguro”, diz o secretário-adjunto de Infraestrutura e Edificações de Santos, Luiz Felipe Tonelli Távora.


A empresa responsável pela execução da obra é a Spalla Engenharia e a expectativa é de que os trabalhos sejam entregues em cinco meses. “A empresa já entrou no local para fazer o levantamento topográfico e sondagem, visando a elaboração do projeto executivo e execução das obras de contenção da encosta”, resume o secretário-adjunto.


Segundo ele, o Município passou a fazer este ano, antes de iniciar obras, o que chama de “dupla checagem” nos projetos. Dessa forma, há a validação do roteiro de trabalho pelo setor de infraestrutura da Cidade, junto com a Defesa Civil. O objetivo é verificar a extensão dos danos, porque a área afetada ano passado pode ser maior agora devido às chuvas ocorridas nos últimos meses, por exemplo. “A gente faz essa dupla checagem porque, em alguns locais, após a limpeza do terreno, pode-se verificar uma alteração na encosta. Se ocorreu, a gente já faz a correção no projeto executivo”.


Távora explica que as ações são baseadas em mapeamento da Defesa Civil, com prioridade para urgências consideradas “nível zero”, que necessitavam de intervenção o mais rápido possível. “As obras de macrodrenagem e contenção dos morros são prioridade no nosso governo”.


Mais obras


A Prefeitura aguarda ainda a liberação de mais R$ 3 milhões do Governo Federal para dar andamento em obras de contenção nos morros do Fontana e São Bento. Haverá contrapartida da Administração Municipal nos dois casos. “No São Bento, as obras já começaram e seguem o mesmo roteiro: limpeza da encosta e grampeamento de solo com concreto projetado”, finaliza o secretário-adjunto.


Tudo sobre: