Orquidário recebe primeiro Festival das Flores de Holambra

Evento ocorre até dia 25, das 9 às 18 horas; programação também inclui teatro, música e informação

Por: Sheila Almeida  -  21/11/18  -  11:52
  Foto: Divulgação

Santos abre nesta quarta-feira (21) o primeiro Festival das Flores de Holambra (SP). Com mais de 200 espécies cultivadas na cidade onde se realiza a Expoflora – a maior exposição de flores ornamentais da América Latina –, Santos mantém a iniciativa até domingo, das 9 às 18 horas, no Orquidário (Praça Washington, s/nº, no José Menino). Gratuita, a programação inclui teatro, música e informação.


Em tempos de vida corrida, nos quais flores artificiais ganham espaço na decoração, uma preocupação na feira é explicar como criar cada espécie e indicar as melhores para cada ambiente – arejado, fechado e com sol direto ou indireto.


Há opções de flores e plantas ornamentais, de mudas, acessórios de decoração e produtos de jardinagem.


Entre as plantas mais conhecidas, estão violetas, jasmins, begônias, lírios, samambaias e bonsais, mas também há espécies exóticas, medicinais e frutíferas.


Beneficente


A iniciativa, de cunho beneficente, terá parte da renda revertida para a União do Vegetal, organização de cunho religioso que já realizou trabalhos beneficentes na região, como conta a organizadora e porta-voz, Paula Bruno.


“Em setembro, por exemplo, jovens de Campinas e São Paulo vieram fazer um trabalho de limpezas em rios e praias. Tem também o Luz das Letras, que é um projeto de alfabetização. Foi feito um trabalho no Hospital Santo Amaro, em Guarujá, com kits para mães que acabaram de dar à luz, além de estarmos chegando também a Bertioga”, afirma Paula.


Rosa-do-deserto, flor africana, é uma das atrações do festival que começa nesta quarta
Rosa-do-deserto, flor africana, é uma das atrações do festival que começa nesta quarta   Foto: Divulgação

Destaques


Entre as curiosidades da feira, estarão espécies antes consideradas raras, como a rosa-do-deserto, flor africana que ganha destaque no Brasil.


Assim comenta um dos vendedores e produtores, Isaque Rosendo Alves, que também cultiva uma espécie de planta chamada érica-japônica ou érica-japonesa.


“A rosa-do-deserto é uma flor que se dá bem em praticamente todo o território nacional. Aqui, precisa de atenção porque ela não tolera o excesso de água. Como a umidade é alta, pode se hidratar a planta entre uma vez por semana e, no máximo, a cada dois dias”, orienta.


A dica do produtor é que não adianta pôr a mão na terra para saber se é preciso hidratar a rosa-do-deserto.


“Ela precisa de substrato. Quanto mais leve e drenável, melhor. Então, vai estar tudo seco e ela estará bem. Ficará quase todo o ano florando se, a cada três anos, (o cuidador) trocar por um vaso maior e (a planta) tiver sol direto”, detalha Alves.


Logo A Tribuna