EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

'Novo Quebra Mar' vai transformar Emissário Submarino em Santos; vídeo

Projeto irá reformular área do Parque Municipal Roberto Mario Santini

Até o final do ano, a famosa escultura de Tomie Ohtake não será o único atrativo do Parque Municipal Roberto Mario Santini, o Emissário Submarino, no José Menino, em Santos. Quadra de basquete, pistas de patinação, de skate e de pump track (trajeto com curvas e rampas), escalada, tirolesa, entrada com pórticos em arco, fonte luminosa, espaço multiuso para eventos, skip cross e restaurante serão algumas das novas atrações daquele espaço, que começa hoje a ser revitalizado.

Denominado Novo Quebra-Mar, o projeto da Prefeitura de Santos tem por objetivo oferecer a moradores de todas as idades e turistas uma nova experiência de uso do espaço público em um ponto estratégico da Cidade. 

A execução do projeto, segundo o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), terá orçamento de cerca de R$ 15 milhões. O obra será custeada pela iniciativa privada, com recursos de contrapartida exigida à empresa Valoriza Energia SPE, que pretende instalar uma Unidade de Recuperação de Energia (URE), em um terreno particular na área continental de Santos, onde funciona o aterro sanitário do Sítio das Neves.

Barbosa explica que viabilidade do empreendimento e a autorização municipal para funcionamento dependerão das aprovações dos órgãos ambientais e cumprimento das legislações vigentes. 

Atrativos

O Novo Quebra-Mar irá requalificar a área, criando novos espaços, como pistas e quadras esportivas com medidas oficiais, estruturas para esportes radicais, quiosques e prédio administrativo. 

O parque também ganhará uma nova entrada, repaginação do paisagismo, piso e iluminação novos. A Escola e Museu do Surfe, Torre dos Jurados e quadra de malha serão mantidos e o monumento aos imigrantes japoneses será reformulado. A escultura de Tomie Ohtake passará por manutenção. 

Local ganhará pistas e quadras esportivas com medidas oficiais, estruturas para esportes radicais, quiosques e prédio administrativo (Foto: Reprodução)

 

“O Novo Quebra-Mar será um parque para todos, incentivando modalidades olímpicas e com estrutura para grandes eventos. Será autossustentável, com identidade visual, uma referência importante aos santistas e um forte incremento para o turismo, reposicionando a Cidade na pós-pandemia do coronavírus”, diz o prefeito.

Esportes olímpicos

Com as novas intervenções, que ocuparão uma área de 29 mil metros quadrados, o parque incentivará modalidades olímpicas que estrearão nos jogos de Tóquio em 2021, como skate e surfe, que já têm forte relação com o espaço, o basquete 3x3, que ganhará uma quadra com medidas oficiais, escalada e BMX. 

O parque terá uma nova entrada principal, com pórtico formado por três arcos. Os dois prédios já existentes serão mantidos e um novo imóvel de 180 metros quadrados será construído para abrigar a Guarda Municipal, vestiários, copa, administração, posto médico para o público e novos sanitários, acessíveis e para família, além de fraldário.

O piso será substituído e a iluminação de vapor metálico será trocada por LED. Câmeras de monitoramento serão instaladas e ligadas ao Centro de Controle Operacional (CCO). 

Acessibilidade

O projeto inclui uma via de acesso, de seis metros de largura, que será compartilhada para uso por ciclistas, praticantes de cooper e veículos oficiais, destinados a abastecimento dos quiosques e restaurante ou a serviço de eventos.

Haverá também dois quiosques de 60 metros quadrados, com áreas sombreadas com pergolados, mesas e cadeiras para consumo. O parque terá também um quiosque de coco e um espaço multiuso de 1.000 metros quadrados para contemplação, realização de eventos ou encontros de música.

Próxima à área, a escultura de Tomie Ohtake terá um mirante e um espaço para exposição.

Confira o vídeo do projeto:

Projeto já passou por todas as autorizações necessárias

O pacote de intervenções foi autorizado pela Sabesp, Cetesb, Ibama e Secretaria de Patrimônio da União (SPU), passando por consulta pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). 

O projeto foi aprovado pela Câmara de Santos na sexta-feira em segunda e última discussão. Essa era uma exigência da Lei Orgânica do Município, que em seu artigo 246 prevê que qualquer modificação nos jardins da praia ou no Emissário Submarino precisa ter a aprovação do Legislativo.

Construir e manter

O vereador Rui de Rosis (PSL), presidente da Câmara, acredita que o novo parque será um dos pontos de maior atração de público da Cidade, tanto para esportes como para lazer.

“Hoje há um consenso de que espaços públicos que estimulem as atividades esportivas são necessários para a qualidade de vida. Nem todos moram em prédios com academia própria e parque para as crianças”, diz.

“Mas uma coisa precisa ser dita: tão importante quanto construir e revitalizar é manter. É preciso que a Prefeitura tenha essa consciência bem clara”.

Rui de Rosis pediu a inclusão, no projeto, de uma estátua de Roberto Mário Santini no novo parque. O executivo, presidente de A Tribuna e falecido em 2007, dá nome ao parque. “É o reconhecimento a alguém que fez muito pela Cidade e por toda a região”, diz.

A execução do projeto custará cerca de R$ 15 milhões, custeados pela Terracom (Foto: Reprodução)
Tudo sobre: