EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

3 de Agosto de 2020

Ligação seca entre Santos e Guarujá: Estado apresenta projeto à União em até 15 dias

Projeto da ponte entre as cidades recebeu ajustes técnicos como posição e altura de pilastras de sustentação; secretário estadual assegura início de obras ainda neste ano

Após passar por ajustes técnicos, o projeto final da ponte entre as margens do Porto de Santos (ligação seca Santos e Guarujá) será submetido ao Ministério da Infraestrutura. O secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, estima que essa etapa deva ocorrer em até 15 dias.  

O aval da pasta federal é um dos últimos entraves burocráticos antes de tirar o projeto do papel. O governo paulista mantém planos de iniciar a obra ainda esse ano, apesar dos esforços estaduais para conter a escadada do novo coronavírus e queda na arrecadação devido as regras de isolamento social.

Antigo sonho da população da Baixada Santista, a ligação seca entre Santos e Guarujá será custeada pela concessionária do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), conforme planos costurados entre empresa e Palácio dos Bandeirantes. 

Pelo acordo, a Ecovias desenvolve o projeto e a obra em troca da extensão do contrato para exploração da malha rodoviária regional. Valores e prazos não foram revelados, mas estima-se que o empreendimento tenha custo superior a R$ 2 bilhões.

“Vamos apresentar (as mudanças do) o projeto para o ministro (da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas) no final de maio ou começo de junho”, diz Machado Neto. 

Ele afirma que as “pequenas alterações” no traçado foram realizadas conforme sugestões da autoridade portuária santista (antiga Codesp). As mudanças são referentes à posição das pilastras no canal do Estuário e altura entre a lâmina d’agua e o equipamento.

O secretário estadual afirma que as propostas foram aplicadas para tornar o traçado do acesso rodoviário compatível com a operação portuária. “Temos uma boa agenda (com a União). Conseguindo aprovar o projeto, seguiremos para as demais etapas de autorização da obra”, afirma o representante do Palácio dos Bandeirantes. 

Como será? 

Em estudo desde junho do ano passado, o futuro acesso entre as margens esquerda e direita do cais santista depende de licenças ambientais e definição do maior prazo de exploração do SAI. O secretário afirma que o projeto se enquadra nas regras de ampliação do prazo de exploração por ser um dispositivo rodoviário e estar dentro de uma área de concessão. 

A ponte terá cerca de 7,5 quilômetros, com início na entrada de Santos e término próximo ao acesso viário à Ilha Barnabé, a cerca de 500 metros da praça de pedágio de Guarujá. A ideia é que o acesso seja alternativa à travessia de balsas.

O projeto é parecido com o apresentado pela Ecovias em 2009. Aquele empreendimento previa uma ponte de 4.580 metros, saindo da margem direita da Via Anchieta, passando pelo cais do Saboó (em Santos) e chegando à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, pela Ilha Barnabé. 

Trata-se da terceira tentativa de estabelecer acesso direto entre as ilhas de Santo Amaro (Guarujá) e São Vicente (Santos) apresentada pelo Estado. Projetos de um túnel submerso no estuário e uma ponte no Ferry Boat foram expostos em anos anteriores.  

Tudo sobre: