EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

14 de Agosto de 2020

Lideranças religiosas falam sobre reabertura de templos em Santos

Católicos e espíritas aguardam redução dos casos. Já igrejas evangélicas devem retomar atividades

A Prefeitura de Santos publicou nesta sexta-feira (3), no Diário Oficial, novo decreto que permite a abertura parcial de igrejas e templos religiosos na Cidade, desde que sejam respeitados os protocolos de segurança, distanciamento, além das medidas de higiene. Apesar a permissão, o bispo diocesano da Diocese de Santos, Dom Tarcísio Scaramussa, afirmou as igrejas católicas ainda não vão abrir para a realização de missas.

“O decreto ajuda a preparar a retomada das celebrações com o povo. As igrejas já estão se preparando para adaptar-se a estas condições, mas não abriremos automaticamente. Estamos aguardando informações sobre a diminuição das infecções, para reabrir em momento mais seguro”, reforça o bispo.

Os espíritas também vão aguardar a redução dos casos para uma reabertura, segundo José da Conceição de Abreu, que é coordenador do movimento inter-religioso, e membro do movimento espírita na região.

“Estamos atendendo a orientação governamental, mas estamos com muita cautela. Temos um agravante que são as pessoas com mais de 60 anos, vamos aguardar e esperar baixar a poeira. Existem muitas pessoas ainda contraindo o vírus”, apontou. 

O vice-presidente do Conselho dos Pastores, Eric Vianna, por sua vez, informou que as igrejas evangélicas vão retomar suas atividades. “Recebemos com muita responsabilidade a flexibilização das igrejas sabendo que é responsabilidade”, diz ele que ressalta a importância em informar aos fiéis que “o relaxamento das medidas não é o fim da quarentena”. 

Esse é o segundo decreto que visa a abertura e funcionamento dos espaços religiosos. O anterior foi suspenso por liminar, sendo o principal problema, naquela ocasião, a restrição do ingresso de maiores de 60 anos – o que não ocorre desta vez. 
De acordo com a Justiça, tal medida seria uma regra de isolamento social seletivo de idosos, proibidos do exercício de seus direitos de locomoção e circulação, portanto inconstitucional. 

Decreto

O texto assinado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) determina o cumprimento das seguintes regras: atendimento limitado a 30% da capacidade,  uso de máscara facial, limitar o  ingresso ou permanência de um frequentador a cada 10m², garantir a higienização com água e sabão ou álcool em gel, aferir a temperatura corporal, manter o local limpo e arejado. 

O decreto ainda ressalta a necessidade de limpeza especial e à desinfecção frequente de superfícies, a inspeção de pessoas em circulação para identificar possíveis sintomas, o fornecimento de equipamentos de proteção individual a funcionários e voluntários, assim como promover e divulgar informações de boas práticas.

Tudo sobre: