Encontro em Santos debate crescimento das construtechs no Brasil

Startups que atuam na construção civil levam inovação e tecnologia aos empreendimentos

Por: Sandro Thadeu  -  03/07/22  -  19:37
Tecnologia permite fazer gestão da obra em tempo real: métodos inovadores ajudam a controlar uso de materiais e acelerar entrega do projeto
Tecnologia permite fazer gestão da obra em tempo real: métodos inovadores ajudam a controlar uso de materiais e acelerar entrega do projeto   Foto: Alexsander Ferraz/AT

O uso da tecnologia está se tornando cada vez mais presente nos canteiros de obras de empreendimentos. Trata-se de uma forma inteligente para ajudar a reduzir custos e monitorar de uma forma eficiente o andamento dos projetos. Essa inovação é o resultado das chamadas construtechs, startups voltadas ao mercado da construção civil.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Segundo levantamento deste ano da Construtech Ventures, há 955 empresas desse tipo no País atuando desde a concepção do empreendimento até a venda do produto aos clientes.


Essa pesquisa comprova como as construtechs e proptechs (startups do mercado imobiliário) estão cada vez mais presentes no País. Esse número passou de 350, em 2018, para 955, em 2022, o que representa um crescimento de 172,85% nesse período.


Para detalhar a importância dessas iniciativas empreendedoras para analisar o andamento das obras e reduzir os gastos para as construtoras, elas serão discutidas em um painel da nona edição do Summit da Construção Civil, evento organizado pelo Grupo Tribuna que será realizado nesta segunda-feira (4).


O engenheiro de produção e CEO da Criando Valor Tecnologia & Inovação, Leonardo Barbosa Delfino, afirma que a principal missão das construtechs é tornar o mercado da construção civil mais eficiente.


“Existem várias iniciativas voltadas para a gestão de obra. Por exemplo: o proprietário da obra consegue, em tempo real, todas as informações que estão ocorrendo durante a execução de determinado empreendimento, inclusive atrasos e barreiras”, afirma.


Com essa ferramenta, um engenheiro pode entrar em um aplicativo para comunicar que uma fundação foi concluída e esse dado já consta no sistema. Na sequência, ele pode já solicitar os materiais necessários para dar continuidade aos trabalhos, o que gera uma maior eficiência e agilidade nas atividades.


Segundo Delfino, uma modelagem que permite planejar todos os passos de uma edificação e corrigir erros antes que eles possam surgir começa a ganhar força no Brasil. É o BIM (modelagem da informação da construção, em inglês).


“Essa metodologia de gestão de obra tem o objetivo de entregá-la de forma mais rápida e de tornar os processos melhores, permitindo um controle mais apurado do fornecimento de material e de mão de obra. Isso traz uma redução de custos significativa para o construtor”, afirma.


REALIDADE VIRTUAL
A realidade ampliada e a realidade virtual também são tecnologias que vêm sendo desenvolvidas por algumas construtechs para que se tenha uma melhor experiência de como o empreendimento poderá ficar. Esse meio do metaverso também ajuda a identificar os encanamentos nas paredes dos edifícios, por exemplo.


Logo A Tribuna