Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Em 'peregrinação' por Santos, munícipe roda por 4 horas atrás de vacina para pai: 'Absurdo'

A grande fila para o drive-thru da Arena Santos foi a única opção para muitos moradores, já que as vacinas em diversas policlínicas tinham acabado ainda no período da manhã

Por: Ágata Luz  -  11/02/21  -  22:11
De acordo com agentes de saúde na Arena Santos, local recebeu 2700 doses da vacina
De acordo com agentes de saúde na Arena Santos, local recebeu 2700 doses da vacina   Foto: Matheus Tagé/AT

Em um calor de 28º, vidros fechados e ar condicionado ligado foram as únicas maneiras de manter idosos com idade a partir de 85 anos na fila do drive-thru para vacinação contra a Covid-19 na Arena Santos. A demora por atendimento fez muitas pessoas desistirem, mas algumas optaram por aguardar, já que as vacinas esgotaramem diversas policlínicas da cidade ainda no período da manhã.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


"Vi uma senhora de 97 anos que chegou lá 8h e foi atendida 10h45, tinha muita muita gente", relata Jair Gonçalves, de 62 anos, que desistiu de levar sua tia para receber a imunização após ver a fila que estava na Arena Santos.


"Minha tia tem 97 anos e é deficiente, não tem uma perna. Eu não sei o que eu faço, porque ela não vai aguentar ir naquela fila. Não tem condição de ficar nem no carro, ela fica nervosa com o aperto e o calor", explicou Jair, que foi até a policlínica da Pompéia em busca de informações para então buscar sua tia. Porém, na Pompéia, a vacinação encerrou às 11 horas.


Já Elaine Fernandes, de 55 anos, arriscou enfrentar a fila do drive-thru para vacinar seu pai Djalma dos Santos, de 88 anos. Isso porque eles estão rodando pelas policlínicas da cidadedesde 8h da manhã. Às 12h15, ela finalmente conseguiu entrar em uma fila em que não recebeu a resposta de que a vacina acabou.


"Fui na Aparecida, Embaré, Conselheiro Nébias, todas já tinham acabado. Teve lugar que era 8h30 e as vacinas já tinham chegado ao fim, me falaram inclusive que não tem previsão de chegar". De acordo com ela, seu pai tem dificuldades, principalmente no calor. "Pela idade, ele está ficando mais fraquinho. É um absurdo ficar rodando por aí", conclui Elaine, indignada com a situação.


Após buscar vacina em diversas policlínicas, Djalma dos Santos, de 88 anos, aguardava a imunização no drive-thru da Arena Santos.
Após buscar vacina em diversas policlínicas, Djalma dos Santos, de 88 anos, aguardava a imunização no drive-thru da Arena Santos.   Foto: ATribuna.com.br

De acordo com agentes de saúde que prestavam atendimento ao público na Arena Santos, o local recebeu 2.700 doses da vacina e, às 12h30, a senha já estava no número 1.228.


Quem recebeu a vacina


Mesmo aguardando mais de uma hora para se vacinar, os olhos de Thereza Vilchez, de 93 anos, demonstravam que escondido pela máscara, havia um sorisso por receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19. "Foi tranquilo, graças a Deus",enfatiza Thereza, que chegou na policlínica Pompéia às 10h30 e saiu vacinada 11h50.


Thereza Vilchez, de 93 anos, recebeu a primeira dose da vacinação na Policlínica Pompéia.
Thereza Vilchez, de 93 anos, recebeu a primeira dose da vacinação na Policlínica Pompéia.   Foto: ATribuna.com.br

"Esperamos um tempo razoável considerando que são idosos com bastante dificuldade de locomoção, porque os idosos ficaram sentados enquanto os acompanhantes estavam na fila", declarou a filha de Thereza, Isabel Marques.


Resposta


A Prefeitura informa que o trânsito para o drive thru instalado na Arena Santos (Av. Rangel Pestana, 184 - Vila Mathias) encontra-se normal, neste momento, sem filas externas. No local continuam sendo aplicadas doses da vacina a idosos, a partir de 85 anos, até às 15h.


A Secretaria Municipal de Saúde esclarece, ainda, que as grandes filas e o acúmulo de pessoas nas unidades devem-se também à grande concentração de munícipes na porta das unidades muito antes das 8h, horário do início da vacinação, e ao fato de a maioria dos idosos ir às policlínicas com acompanhante. A pasta assegura que o procedimento de vacinação dura, em média, apenas cinco minutos.


Logo A Tribuna