EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Câmara de Santos recebe prédio do colégio Acácio de Paula Leite Sampaio

Na segunda-feira (4), prefeitura formaliza a cessão do prédio do antigo colégio, onde será instalada a Escola do Legislativo, entre outros anexos

A novela sobre o colégio Acácio de Paula Leite Sampaio, na Vila Nova, chega ao fim. A Câmara de Santos recebe da prefeitura, na segunda-feira (4), as chaves do imóvel da Rua Sete de Setembro. Parte do espaço manterá a finalidade para a qual foi projetada: no local, será implantada a Escola do Legislativo e da Cidadania, voltada à capacitação de servidores e oferta de cursos à população.

A data e a destinação do equipamento foram confirmadas nesta quinta-feira (31) pelo presidente do Legislativo santista, Rui De Rosis (MDB), e pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB).

“A Câmara precisava de mais espaço para acomodar a sua estrutura e ao quadro funcional. Foi uma solução feliz. Além de resolver um problema, vamos resgatar um imóvel histórico que está na lembrança afetiva dos santistas”, afirma.

Até então sob a posse da prefeitura, a cessão do imóvel para Câmara será oficializada em cerimônia na manhã de segunda-feira. O ato contará com a presença do arquiteto Décio Tozzi, autor do projeto original da escola santista que, em abril, completou meio século de existência.

Por ser um imóvel pertencente ao município, não há obrigatoriedade de pagamento pela transferência. “Dessa forma, garantimos a preservação do equipamento, que é um patrimônio público premiado pela arquitetura arrojada, e que precisa ser restaurado, e garantimos ainda a maior circulação de pessoas naquela região, que terá em breve o Parque Tecnológico”, destaca Barbosa.

Estratégia

O parlamentar explica que assumir o imóvel é estratégico para a Câmara, que vinha estudando a construção ou a compra de um novo prédio para complementar sua estrutura atual. Os planos são de também ampliar as instalações administrativas da Câmara, já que o Castelinho (sede do Legislativo santista) apresenta sinais de saturação.

De Rosis assegura ter dado início às formalidades para garantir a recuperação estrutural do imóvel. Segundo ele, o edital para a reforma elétrica, hidráulica e das instalações internas deve ser publicado nas próximas semanas. As melhorias também incluem acessibilidade, com instalação de elevador externo. As mudanças foram projetadas por Tozzi.

Os ajustes no espaço são necessários para a instalação de novos setores administrativos, como os departamentos da TV Legislativa, de Gestão e Controle, de Transparência, e da Escola do Legislativo e da Cidadania. De Rosis pretende ainda levar para o Acácio o acervo da Câmara, documentação acumulada desde o século 19.

Análise prévia feita há mais de seis anos pelo arquiteto original da edificação indicou que a reforma custaria pouco mais de R$ 9 milhões. De Rosis afirma ainda avaliar o montante e acredita entregar o imóvel reformado no começo do segundo semestre de 2020.

Tudo sobre: