EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

15 de Dezembro de 2019

Associação de Equoterapia ampliará atendimento em Santos

Espaço foi reestruturado e poderá triplicar número de crianças e jovens favorecidos

Maria Clara Aparecida da Silveira Gato, de 12 anos, contava os segundos para rever um velho e querido companheiro. O sorriso largo em seu rosto resumia a felicidade por estar, mais uma vez, próximo de Arcanjo – um dócil cavalo.

Ele é um dos dez animais que auxiliam na reabilitação de crianças com deficiência atendidas gratuitamente na Associação Equoterapia de Santos. A unidade foi reestruturada, com novos cochos para receber dois cavalos doados, mais um galpão coberto e circuitos atualizados.  

A mudança deverá triplicar a capacidade de atendimento, hoje prestado, gratuitamente, a 130 crianças. “Há uma fila de 280 crianças aguardando vagas. Vamos reduzir em 50% essa espera”, diz a presidente da organização, Graça Silva. A entrega do espaço ocorreu na manhã desta sexta-feira (9), Dia Nacional da Equoterapia.  

Sobre o cavalo, a pré-adolescente esquece as limitações mínimas e sequelas em seu corpo, provocadas por uma doença degenerativa responsável pela má-formação de sua coluna. Ela se porta com destreza e sincronismo com o animal. “A montaria é a minha atividade preferida, me faz sentir mais autoconfiante, mais feliz”, afirma. 

Maria Clara, mais 'autoconfiante e feliz' quando está com Arcanjo (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Vida melhor  

Cavalgar é uma das ações usadas para estimular o desenvolvimento da mente e do corpo de crianças e jovens com deficiência física ou intelectual.  

“A equoterapia tem trazido muitos benefícios. Principalmente no equilíbrio. Ela mal conseguia ficar em pé. Agora, ela tem uma vida normal”, diz a mãe de Maria Clara, Renata Aparecida da Silveira.

Gabriel Amoreira de Freitas, 16 anos, é outro atendido na instituição santista. Dono de sorriso cativante e abraço carinhoso, ele supera as limitações impostas pela Síndrome de Down. Ele foi o mestre de cerimônias do evento de sexta-feira. “Me sinto feliz aqui”, afirma.

A psicóloga Danielle Amoreira de Freitas, e mãe de Gabriel, destaca a melhora no comportamento dele e no trato com outras pessoas em decorrência da terapia. 

“Ele caminhava com dificuldade e a postura dele não era boa. Além disso, ele se concentra mais e está bem independente”, descreve. 

'Me sinto feliz aqui', diz Gabriel Amoreira de Freitas, de 16 anos (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Agradecimento 

A solenidade de sexta-feira teve a presença de autoridades, voluntários da associação e fundadores. 

Em sua breve fala, Flávia Clemente Santini, diretora de A Tribuna e uma das mais antigas voluntárias da associação, agradeceu e destacou o papel importante dos que auxiliaram o projeto ao longo dos anos. “Foi com a ajuda de muitas pessoas que chegamos até aqui”, disse Flávia, que se integrou a esse projeto na mesma época que Georgina Timm, outra voluntária e amiga da causa.

A equoterapia se transformou em associação em 2000, em São Vicente. Em 2002, foi firmado convênio com a prefeitura, por meio do empenho do então prefeito Marcio França. O empresário da construção civil Lupércio Conde foi quem colaborou com material para as estruturas do espaço no então Horto de São Vicente. 

Flávia também lembrou o papel do presidente da Codesp em 2004, José Carlos Melo Rego, na formalização do termo de uso da atual área em Santos, no bairro Jabaquara. “O então editor-chefe do jornal, Marcio Calves, foi quem nos ajudou com essa questão”. Diversos empresários da construção civil colaboraram para erguer as primeiras estruturas, doando material, lembra Flávia. 

Mas, foi em 2005, por meio do vereador Antônio Carlos Banha Joaquim (PMDB), que o convênio da associação com a Prefeitura de Santos foi formalizado, destinando mensalmente recursos para bancar boa parte dos atendimentos. “Nunca podemos esquecer dos que ajudaram nessa trajetória. A associação é muito grata a todos eles”. 

Serviço

O atendimento público na Associação Equoterapia é precedido de diagnóstico, indicação médica e avaliações de profissionais das áreas de saúde e educação. A unidade funciona na Avenida Francisco Manoel, s/nº, no Jabaquara, em Santos. Informações pelo telefone 3221-7706. 

Tudo sobre: