EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

23 de Agosto de 2019

Vereador retira projeto de rodízio de carros em Guarujá, mas alerta: 'Luz amarela piscou'

Sérgio Jesus dos Passos, o Sérgio Santa Cruz (PRB), rebate críticas à proposta e diz que logo o município irá parar devido ao grande número de veículos

O vereador Sérgio Jesus dos Passos, o Sérgio Santa Cruz (PRB), decidiu retirar de votação, na Câmara de Guarujá, o Projeto de Lei 125/2019, que autorizava o Executivo a implementar o sistema de rodízio de carros no município.

A proposta estabelecia que a medida seria colocada em prática por seis meses, em caráter experimental, para a melhoria do fluxo do trânsito nas vias da cidade. As restrições seriam impostas de segunda a sexta-feira, em horários considerados de pico: das 7h às 10h e das 17h às 19h.

Após a divulgação, a propositura foi mal recebida pelos munícipes, que passaram a criticar o parlamentar. Sérgio Santa Cruz rebateu os ataques recebidos nas redes sociais.

"Apresentamos esse projeto nas redes sociais e na mídia, e nós apanhamos bastante. A população, somente pela frase ‘proibir no Brasil’ ou ‘restringir no Brasil’, já entende de uma maneira bem cruel", comentou o vereador.

"A luz amarela piscou. O projeto está sendo retirado porque, infelizmente, as pessoas acabam simplesmente usando o telefone para criticar. É fácil ir lá criticar, dar pau, falar que é um projeto medíocre, que é um projeto imbecil, que é um projeto idiota. Só que tem um detalhe. Aqui, alguém sabe que existe uma frota de 160 mil veículos registrados? Que na alta temporada, tem 830 mil veículos aqui disputando espaço com ônibus?", emendou Santa Cruz.

De acordo com o vereador, apesar da má recepção da proposta na cidade, ele recebeu ligações de vereadores de Santos, Praia Grande e São Vicente para pedir mais detalhes. Para ele, a discussão sobre o rodízio, a nível metropolitano, chegará logo.

Santa Cruz ainda ressaltou que Guarujá possui uma malha viária da década de 40, e demonstrou preocupação, uma vez que o município irá abrigar o Aeroporto Civil Metropolitano e outros equipamentos para o desenvolvimento da cidade. No entanto, há pouco recurso para investimento em infraestrutura.

"Projetos dessa magnitude têm que ser mais discutidos, não somente em mobilidade, mas em segurança, zeladoria, educação, saúde. Nossa cidade está em desenvolvimento", comentou o parlamentar.

"Se não tem infraestrutura, vai servir para quê [os equipamentos]? Para tumultuar, para não se chegar [até eles]? Uma hora não se vai mais andar em Guarujá", finalizou Santa Cruz.