EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

'Sairei candidato à reeleição. Até porque, há pontos que precisam de continuidade', diz Suman

Prefeito de Guarujá aposta na retomada de investimentos em diversas áreas para deslanchar a economia local em 2020

O prefeito de Guarujá, Válter Suman (PSB), tentará a reeleição para sedimentar as conquistas obtidas ao longo dos três ano no comando do município. Em entrevista para A Tribuna, ele diz apostar na retomada de investimentos em diversas áreas, principalmente na construção civil, para deslanchar a economia local em 2020. 

Quais são os investimentos aguardados para o próximo ano? 

Um empresário da construção civil anunciou um investimento de R$ 300 milhões na construção de condomínios nas Astúrias e Tombo. Da mesma maneira, outras empresas também estão investindo em moradias de baixo custo em bairros como Vila Zilda e Morrinhos.  

E como o município fará para ajudar a gerar mais empregos nesse cenário?  

Dando segurança jurídica, sendo ficha limpa e tendo suas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Honrando compromissos com fornecedores. Tendo paz política. Desburocratizando as ações internas para dar agilidade. Temos de ser agentes facilitadores para que essas pessoas venham para cá.  

Haverá algum tipo de incentivo fiscal, por exemplo? 

A partir do próximo ano, vamos estudar esses tipos de incentivos fiscais para fomentar ainda mais a vinda de empresas para cá. Basicamente, isso envolve IPTU e ISS, com reduções para diminuir a carga tributária e gerar empregos. 

A área da Segurança tem sido preocupação constante da população. O que o município tem feito? 

Um importantíssimo item que julgo estar contribuindo, mês a mês, para a redução dos nossos índices de violência é a iluminação pública. Estamos também trabalhando na implantação da central de monitoramento, que demandará investimentos de R$ 20 milhões. A sede será no Mirante da Campina e deve entrar em funcionamento primeiro semestre do próximo ano. Outra ação foi o armamento da Guarda Municipal. Haverá a ampliação do efetivo, com convocação de 25 guardas concursados no primeiro trimestre de 2020.  

Como está a preparação para a temporada de verão? 

Receberemos reforço do estado, com 400 policiais militares. Disponibilizaremos a eles alimentação, acomodação e climatização do espaço para que tenham a permanência mais agradável possível. Da mesma maneira, temos um diálogo constante com Polícia Civil.  

Então, os turistas poderão andar tranquilos pela cidade no verão? 

Estamos preparados, com novo reforço do Guarda Municipal e da Polícia Militar, e também a Operação Delegada. Reajustamos em 58% o valor de remuneração dos policiais que participam da Delegada - substituindo o chamado bico. Hoje, Guarujá é uma das cidades que melhor remunerará esses policiais. 

E como ficará a polêmica envolvendo a fila para a travessia de balsas? 

Temos que fazer a lição de casa, que é mobilizar nosso efetivo de agentes de trânsito e da Guarda Municipal. E executar algumas alterações para agilizar a saída do Centro e da faixa de orla para quem optar pela travessia. Existe diálogo constante com o Estado. Haverá aumento na quantidade de balsas, salvo engano para oito.  

O senhor disse que há outro gargalo? 

É o pedágio, que, por si só, provoca um represamento, chegando a atingir a entrada. Está em estudo a modernização do nosso viário, na entrada principal da cidade, para dar vazão a esse número de veículos que multiplica-se por cinco em época de temporada.  

Para quando seria isso? 

O viário é um investimento de R$ 10 milhões. Uma mudança importantíssima e estamos buscando até parceria com a iniciativa privada.  

O que há para o setor de Habitação?  

Retomamos o Parque das Montanhas com recursos próprios e estamos buscando a iniciativa privada e o estado. Entregaremos, no próximo bimestre, cerca de 204 novos apartamentos, com estimativa de mais 300 no final de 2020 e, dependendo da ação do estado, para ocupar área de 800 a 1 mil metros quadrados da zona portuária, do lado de Guarujá, que é para onde o Porto pode crescer. Também estamos fazendo estudos em Santa Cruz dos Navegantes e Perequê para que essas áreas estejam, em breve, sob cuidados do Município e recebam empreendimentos imobiliários do Minha Casa, Minha Vida.

E o setor de Saúde, que sempre gera muitas reclamações na rede pública? 

Nossas unidades, quando assumimos, estavam deterioradas. A começar pelas que movimentam centenas e centenas de pessoas como o antigo PAM da Rodoviária. Nós reformamos a unidade. Hoje é um pronto-socorro que não deixa nada a desejar para muitas unidades particulares e conveniadas.

O que mais foi feito? 

Construímos o Pronto-Socorro Infantil de Vicente de Carvalho, que era uma demanda de décadas da população. Fizemos alguns reparos no Pronto-Socorro de Vicente de Carvalho. Entregaremos uma nova UPA em substituição à atual. Fomos agentes facilitadores para a vinda de duas faculdades de medicina para a cidade: a Unoeste e a Unaerp, que movimentam a microeconomia por conta dos alunos. 

Haverá novos serviços oferecidos à população pelo Hospital Santo Amaro? 

Implantaremos em breve o serviço de hemodinâmica para atender pacientes portadores de doenças cardiovasculares. Já demos entrada na compra do equipamento, a área já está definida e entrando em reforma. Sendo otimista, acho que entre abril e maio já estaremos iniciando o atendimento desse setor.

E quanto ao Mais Médicos? 

Com a saída de, salvo engano, 42 médicos, ficou uma lacuna. Estamos nos movimentando para cobrir essas falhas. Com a terceirização do antigo PAM da Rodoviária, que tem sido um sucesso, e das Unidades de Saúde da Família (Usafas), alguns médicos estatutários puderam ser deslocados a outras unidades. Está em estudos, já avançados, a terceirização da UPA de Vicente de Carvalho, que também nos dará fôlego maior em relação a essa mão de obra médica. 

Vai tentar a reeleição? 

Sim. Sairei candidato à reeleição. Até porque há pontos que precisam de continuidade em Guarujá, como a construção civil sendo retomada, parques de entretenimento. Prolongamento da Avenida Dom Pedro I, segunda fase da Avenida Perimetral e 21º Batalhão da Polícia Militar (PM), cuja área nós já cedemos para o Governo do Estado.

Quatro anos a mais serão suficientes? 

Já avançamos bastante em três anos de governo. Mas eu preciso de mais um segundo mandato para poder passar o bastão com a cidade em melhor condição. A gente percebe que o resgate de Guarujá hoje é o que Praia Grande viveu há 20 anos. Falo que o quão bom é o gestor passar o bastão para o seu sucessor correndo e não jogá-lo no mangue para você, primeiro, buscá-lo. O que quero dizer com isso é que o município, com resgate do crédito moral, paz política, boa relação entre Executivo, Legislativo e sociedade civil e segurança jurídica – cidade ficha limpa, com parecer favorável do TCE –, torna-se segura e atrai mais investimentos.  

Toda temporada também há reclamação de falta de água. Como está a situação e o que a prefeitura pode fazer neste assunto? 

A Sabesp iniciou uma série de ações cujos projetos já estavam na prateleira. Por exemplo, o reforço na tubulação para que melhorasse a pressão de água nas torneiras, principalmente do Distrito de Vicente de Carvalho. Uma obra de R$ 24 milhões feita junto com a revitalização da Avenida Thiago Ferreira. Minimizamos ao máximo os transtornos aos comerciantes. Não diria que vai resolver 100%, mas a população já sentirá a diferença.

Na edição de sexta-feira (27), leia entrevista com o prefeito de Itanhaém, Marco Aurélio Gomes (PSDB), a quarta da série com os chefes do executivo da região.

Tudo sobre: