Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Navio destrói atracadouro e causa interrupção da travessia de balsas entre Guarujá e Santos; VÍDEO

Navio da Hamburg Sud colidiu por volta das 13h30 deste domingo (20) e assustou motoristas que estavam no local

Por: Nathália de Alcantara  -  20/06/21  -  14:33
Atualizado em 20/06/21 - 18:21
 Píer foi destruído após navio colidir na tarde deste domingo
Píer foi destruído após navio colidir na tarde deste domingo   Foto: ATribuna.com.br

Um navio da Hamburg Sud bateu nos atracadouros do lado de Guarujá por volta das 13h30 deste domingo (20) e apavorou principalmente as pessoas que estavam dentro de seus veículos e tiveram de desembarcar rapidamente da balsa que havia acabado de estacionar. A travessia ficou temporariamente paralisada, com balsas a deriva aguardando um local para desembarque dos veículos.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!



Segundo funcionários da Dersa que preferem não se identificar, todos se assustaram ao ver que o navio estava se aproximando rapidamente. "Tivemos de pedir para os veículos descerem rápido para não acontecer uma tragédia. A balsa teve de sair de lado, e encostar em um pequeno espaço, pois não teve tempo de atravessar o canal de volta. Foi horrível", relata.


O atracadouro do meio foi o mais danificado, ficando totalmente destruído. A embarcação que bateu no local também rasgou o casco.


Em nota, o Departamento Hidroviário, responsável pelo serviço de travessia litorâneas, informou que equipes foram acionadas para o acidente. A travessia ficou paralisada por cerca de 1h20, sendo retomado por volta de 15h.


 Acidente ocorreu por volta das 13h30
Acidente ocorreu por volta das 13h30   Foto: ATribuna.com.br

Quem aguardava para fazer a travessia desceu dos carros para ver e filmar o momento. "Estou com medo. Vim com meus filhos para visitar o local e isso foi assustador. Imagine se estivéssemos entrando na balsa com eles no carro. Não teríamos tempo de sair de ré", dizia a enfermeira Sonia dos Santos Cardoso, de 36 anos.


ATribuna.com.br entrou em contato com a Capitania dos Portos do Estado de São Paulo (CPSP), que afirmou estar ciente do acidente. Equipes de inspeção naval estão no local, junto com peritos, para avaliar a situação.



Até o momento, não há registro de vítimas e nem poluição ambiental. Foi determinado que o navio fique na fundiadora para que a classificadora emitisse um laudo e verificar se a embarcação tem condições de prosseguir viagem.


 Atracadouro ficou danificado após colisão causando interrupção do serviço de travessias
Atracadouro ficou danificado após colisão causando interrupção do serviço de travessias   Foto: Nathália de Alcantara/AT

A SUD, empresa responsável pelo navio, encaminhou um posicionamento oficial sobre o acidente:

A empresa confirma que o navio Cap San Antonio, esteve envolvido em um incidente em Santos - Brasil este domingo, 20 de Junho, ao sair do complexo portuário em rota para o porto de Paranaguá. Até o momento não há o registro de vítimas envolvidas no incidente, dentro ou fora do navio, ou que a região tenha sido poluída de alguma forma. A companhia está avaliando a situação e colabora com as autoridades.


Em nota, a Santos Port Authority (SPA), autoridade do Porto de Santos, se posicionou sobre o acidente, afirmando que irá colaborar com as investigações. Confira nota na íntegra:


O navio de contêineres Cap San Antonio, após deixar um terminal na margem esquerda por volta de 13h, ao navegar nas proximidades das travessias de balsas, atingiu um flutuador utilizado para embarque e desembarque de ciclistas das balsas que fazem a travessia Santos-Guarujá. Não houve vítimas.


Devido ao acidente, por determinação da Capitania dos Portos - responsável em conduzir a investigação sobre o acidente -, a embarcação deverá permanecer na área de fundeio para a avaliação das suas condições de segurança.


O acidente não impactou as operações do Porto de Santos nem a navegação. Por volta de 15h, em função das condições meteorológicas (rajadas de vento de cerca de 60 km/h), sem qualquer relação com o acidente em tela, a Autoridade Marítima determinou a suspensão do tráfego de navios no Porto


Logo A Tribuna