EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Guarujá flexibiliza ações de barreira sanitária após três meses e meio

A partir desta semana, a fiscalização será somente de sexta a domingo nos seis pontos de acesso de turistas à Cidade. Quase 40 mil veículos tiveram o acesso negado durante a pandemia

A Prefeitura de Guarujá começa a flexibilizar as ações de barreiras sanitárias que impediam o ingresso de turistas na cidade durante as regras de isolamento social, decretada para conter o avanço da Covid-19. Os bloqueios, que eram realizados de forma ininterrupta, passam a acontecer apenas de sexta-feira a domingo (ocasião em que há maior número de visitantes). Custos com folha de pagamento justificam a decisão municipal. 

Nos três meses e meio de operação na cidade, a iniciativa evitou que 39.345 carros ingressassem ao município. Só no último fim de semana, 1.013 veículos tiveram que retornar para sua cidade de origem. No sábado (11), foram 771, e no domingo (12), 242 unidades. Os números fazem parte do balanço das barreiras sanitárias implantadas nas entradas da cidade e nas travessias de balsas de Santos e de Bertioga. 

Quando a região avançou à fase laranja do Plano SP, a prefeitura pleiteou ao Estado permissão para a implantação de um único bloqueio na Rodovia Cônego Domenico Rangoni. Mas o pedido municipal foi negado. 

Segundo a administração municipal, a fiscalização somente aos finais de semana se deve “diante das crescentes despesas com horas extras dos agentes encarregados das fiscalizações nas barreiras”, o que inclui os policiais da Operação Delegada.  

Ainda conforme a prefeitura, Guarujá foi a única cidade da Baixada Santista que manteve os bloqueios 24 horas por dia. A medida foi implantada no dia 21 de março, pelo decreto municipal (13.569), como forma de enfrentamento à pandemia de Covid-19.  

Bloqueios  

Os bloqueios aos finais de semana permanecerão montados em seis pontos, tanto nas entradas do município por vias rodoviárias quanto nas travessias de balsas de Santos e de Bertioga.  

As vias totalmente bloqueadas com estruturas de concreto (tipo New Jersey), sem acesso à cidade são: Rua Waldomiro Macário (acesso aos prédios da Dow Química), a Via Fassina (acesso ao Porto de Granéis e demais empresas).  

Existem, ainda, as barreiras sanitárias de fiscalização, que estão na Avenida Áurea Gonzales Conde (acesso a Vicente de Carvalho), Rua Idalino Pinez (Rua do Adubo – acesso exclusivo de caminhões e ao Porto), Avenida Vereador Lydio Martins Correa (acesso à Enseada e Morrinhos) e Rodovia Cônego Domênico Rangoni (na entrada principal da cidade). Há, também, barreiras do tipo nas saídas das travessias de balsas de Santos e Bertioga.  

Acesso  

Para acessar a cidade, as exigências serão as mesmas: apenas veículos cujos ocupantes apresentem comprovantes de residência no município ou de exercício de atividades essenciais na cidade. Já aqueles que tiverem reservas em hotel, setor que já retomou as atividades, precisam apresentar o voucher comprovando a hospedagem.  

Aqueles que se recusarem estarão sujeitos à apreensão dos veículos e, caso seja necessário, poderão ser encaminhados à Delegacia de Polícia nos termos da lei penal vigente no país. 

Tudo sobre: