EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

Guarujá completa 86 anos com entrega de 180 moradias

Cidade comemora investimento, mas continua com um dos maiores problemas habitacionais da região para resolver

O maior presente de aniversário de Guarujá - palco de recente tragédia com dezenas de mortos em áreas de risco - seria a solução definitiva para o déficit habitacional, que passa de 20 mil moradias. Se essa situação está longe de ser equacionada, ela é diminuída com algumas iniciativas, como a desta terça-feira (30). Ao completar 86 anos, a Cidade inicia a entrega de 180 novos apartamentos conjunto Parque da Montanha, na Vila Edna. 

As unidades fazem parte de um total de 574 que estão em obras. O empreendimento terá, ao final, 1.962 unidades, destinadas a famílias que serão removidas de área de expansão portuária, da Prainha e do Sítio Conceiçãozinha, em Vicente de Carvalho. Trata-se do maior empreendimento habitacional da Baixada Santista. 

“A entrega desses apartamentos é a maior conquista no aniversário da Cidade. A questão habitacional tem sido um grande enfrentamento, nós já entregamos 400 novos apartamentos no Canta Galo há um ano e meio. É um trabalho de continuidade, mas que seria travado se nós não tivéssemos boa vontade e condições de buscar os recursos”, diz o prefeito de Guarujá, Válter Suman (PSB). 

Segundo o prefeito, já existem parcerias definidas, com repasses das empresas ferroviárias Rumo e MRS para dar continuidade a obras habitacionais e a prioridade será concluir o Parque da Montanha.  

“Temos um déficit habitacional de cerca de 25 mil moradias e a Cidade tem 90 mil pessoas que moram em condição subnormal. Realmente é uma das piores heranças e que demanda recursos internacionais, da União, do Estado e contrapartidas da Prefeitura. Para isso existem projetos questão sendo elaborados”, afirma Suman. “Nos últimos 12 anos, somos a gestão que mais entregou moradias”.  

Economia 

Segundo o prefeito, mesmo com a crise provocada pela pandemia, a cidade está no azul. Todos os pagamentos com prestadores de serviços e encargos com servidores públicos estão em dia. Para ele, economia será novamente aquecida com a retomada do setor turístico e com novos empreendimentos que estão em construção no Município.  

Porém, o Aeroporto Civil Metropolitano, que traria um incremento econômico à Cidade, ainda não virou realidade. A licitação de concorrência pública internacional para concessão do espaço foi cancelada e não há data definida por causa de pandemia. 

“Fizemos um contrato com a Infraero, que tem sob seus cuidados cerca de 40 aeroportos. Em Guarujá ela já está desenvolvendo atividades. O objetivo vai ser homologar a pista junto à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a questão do licenciamento ambiental, e a Infraero é uma porta aberta para financiamento junto ao Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC). Para que a gente possa fazer a implantação de pontos de embarque e desembarque para começar a operar aviões de pequeno porte”.  

O prefeito acredita que até o fim de 2020 a aviação executiva já está operando em Guarujá.  

Zeladoria 

Suman destaca que nesse aniversário a Cidade pode comemorar também os cuidados com a zeladoria em geral. Ele cita a iluminação pública em LEd em toda a orla e nas principais avenidas, incluindo Vicente e Carvalho.  

Também fala sobre a troca do transporte público na sua gestão, com 160 novos ônibus, e do contrato feito com a Sabesp para serviços de saneamento básico com segurança jurídica. “E melhoramos substancialmente a saúde pública, com reformas fundamentais. Trabalhamos ainda para melhorar os repasses do Município e da União ao Hospital Santo Amaro, que atende ao SUS”. 

Tudo sobre: