‘Em duas semanas, ele perdeu três quilos’, diz mãe de bebê recuperado da Covid-19 em Guarujá

O pequeno Arthur Henrique Santos Aguiar, de 1 ano e 11 meses, ficou internado 14 dias no Hospital Santo Amaro

O amor e a atenção típicos de mãe nunca foram tão celebrados por Jaqueline Santos da Silva, de 26 anos. Por quase dois meses, a angústia por não ter no colo o pequeno Arthur Henrique Santos Aguiar, de 1 ano e 11 meses, foi motivo das orações da moradora do Jardim Enseada, em Guarujá.

Nesse período, o menino lutou bravamente contra os sintomas da Covid-19. Luta vencida pela dedicação da equipe médica e (muita) fé da jovem. Capítulo que se encerrou na semana passada, com laudos conclusivos da recuperação do novo coronavírus. 

“Deus é muito bom e eu só tenho a agradecer pela vida do meu filho. Ele é o meu guerreiro de Deus. Só tenho a agradecer a todos pelas orações. Por isso, peço a todos que fiquem em casa e se cuidem”, conta, sem segurar as lágrimas. 

Jaqueline sabe, como ninguém, que o novo coronavírus não escolhe vítima e pode atingir tanto idosos como também crianças. “Ele não comia nada e emagreceu três quilos, em menos de duas semanas”, relata a mãe.  

Como o pequeno não sabe falar, Jaqueline conta que “Arthur chorava muito, mas muito mesmo”. O bebê apresentava sintomas como febre, falta de ar e garganta infeccionada.

Sorriso do garoto trouxe alívio ao coração da jovem mãe (Arquivo pessoal)

No dia 24 de março, o bebê foi internado no PAM Rodoviária, com suspeita da Covid-19. “Fiquei em isolamento com ele e alguns dias depois ele foi transferido ao Hospital Santo Amaro, também em isolamento”. 

Com medicação intravenosa e a realização dos procedimentos, o raio-x de Arthur apontou um abcesso no pulmão. Ele também fez tomografia computadorizada. “Chegaram ainda a fazer o exame de tuberculose, que deu negativo”. 

No total foram 14 dias de internação do pequeno Arthur e mesmo após a alta, ele continuou o tratamento em casa, sob o acompanhamento da médica da unidade de saúde do bairro. 

Com o término da medicação, Jaqueline levava o filho ao PAM para fazer raio-X, e no último realizado ficou constatado que não tinha mais nada no pulmão da criança. “Foi quando tive a certeza de que ele estava curado”. 

Tudo sobre: