EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

23 de Outubro de 2019

Educadora é elogiada por famosos após ação para grafitar escola em Guarujá; vídeo

Professora de Geografia escolheu lecionar em unidade onde estudou durante a infância em Vicente de Carvalho

Com novas cores e a ajuda de 25 grafiteiros da região, uma profissional da educação conseguiu dar cara nova à escola onde cresceu e hoje atua. Mobilizada pela professora Tania Santos, a campanha para realização dos grafites no muro de uma escola estadual em Vicente de Carvalho repercutiu nas redes sociais, sendo parabenizada pelo cantor Mano Brown e jogadores de futebol como Gustavo Henrique e Bruno Xavier. "Estou emocionada", diz.

A Escola Estadual Marcílio Dias, localizada no distrito de Guarujá, foi a unidade que abrigou uma migrante nordestina ainda na infância. Hoje, abriga boa parte dos alunos que vivem na comunidade Prainha ou que moram no bairro Vila Alice.

Tânia Maria dos Santos deixou aos 12 anos a cidade de Aracaju, Sergipe, acompanhada pela mãe e irmãos, para recomeçar a vida após a perda do pai. Ainda aos 12, foi matriculada na unidade escolar, onde cursou o Ensino Fundamental II. "O Marcílio Dias foi o colégio onde passei a minha infância. Tenho muito carinho por aquela escola", explica. 

Tamanho amor fez a professora ter a vontade de promover mudanças assim que passou a lecionar na escola, trazendo cores aos muros. "Levei um choque quando cheguei e vi o muro como estava. Por conhecer muitas pessoas, organizei um pagode na escola de samba Amazonense. Grupos se apresentaram, mas com o dinheiro arrecadado só consegui comprar os baldes de cal, então, pintei o muro com meu irmão".

Dois anos se passaram, e o desejo de ver grafites alegrando os muros ainda estava vivo. Tânia procurou o grafiteiro Willis, responsável por grafites em pontos de Guarujá, e mobilizou amigos para conseguir arrecadar os materiais necessários. "Comecei a pedir R$ 1 para amigos, lojistas e até para a minha mãe, para que conseguisse comprar as tintas".

25 grafiteiros se reuniram para transformar muros de escola estadual em Guarujá (Foto: Reprodução/Facebook)

A ação ganhou força nas redes sociais, e a professora foi surpreendida com vídeos de famosos elogiando o trabalho. O cantor Mano Brown, ídolo de Tânia, gravou uma mensagem especial para ela. "Ele é um cara que eu sou muito fã, e que vou a todos os shows. Já vi o vídeo várias vezes e sempre fico emocionada", comenta.

Torcedora do Santos, ela ainda recebeu elogios do zagueiro Gustavo Henrique e de Bruno Xavier, jogador da seleção brasileira de futebol de areia. Com mais de 250 latas de spray em mãos e a ajuda de 25 grafiteiros, os muros da escola do bairro Vila Alice ganharam murais que trazem homenagens e referências ao universo escolar. Pais, professores, alunos e pessoas que estudaram no local, e parabenizaram pela iniciativa.

Professora escolheu lecionar em escola onde estudou durante a infância (Foto: Arquivo Pessoal)

Sala de aula 

Hoje, aos 48 anos, Tânia conta que, ao se mudar para a região da Baixada Santista, enfrentou o preconceito. “Quando cheguei aqui, era chamada de baiana do Norte. Como professora de Geografia, aprendi que não era eu a ignorante, mas sim eles que não conheciam nem as regiões do Brasil. Não sou do Norte, e sim do Nordeste”.

Antes de cursar a licenciatura, Tânia trabalhou durante 23 anos no comércio de Vicente de Carvalho. A oportunidade de ingressar no Ensino Superior veio por meio de um convênio entre a universidade e a loja onde trabalhava. “As coisas não foram fáceis. No dia do vestibular, sofri um acidente de moto. No terceiro dia de aula, tive minha moto roubada, e no meio do curso, descobri que tinha um tumor na coluna. Era para ter desistido várias vezes, mas ser professora sempre foi meu sonho, desde a infância”. 

O amor pela Geografia está estampado na pele, por meio de uma tatuagem com os continentes. Ela conta que a disciplina conseguiu lhe abrir as portas, e que é por meio dela que os alunos passam a ser mais críticos e a enxergar o mundo de maneira diferente. Dentro ou fora da sala de aula, os planos ainda permeiam a mente da educadora, que planeja criar uma horta para ajudar na alimentação dos alunos.

Professora de Geografia fez vaquinha para a compra de tintas (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Tudo sobre: