Baixada Santista prevê contratação de 18 mil empregados para a temporada de Verão

Setores do comércio varejista, de bares, hotéis, restaurantes e padarias estão otimistas com alta no movimento

Por: Sandro Thadeu  -  10/10/21  -  06:46
 Segundo o CDL, as contratações devem crescer, inclusive nos estabelecimentos pequenos e médios
Segundo o CDL, as contratações devem crescer, inclusive nos estabelecimentos pequenos e médios   Foto: Arquivo

Os representantes dos setores do comércio varejista, bares, hotéis, restaurantes e padarias estão muito otimistas em relação ao aumento do movimento de consumidores com a chegada da temporada de verão. Para atender adequadamente o público local e os turistas, existe a estimativa pela contratação de 18 mil trabalhadores temporários na Baixada Santista e no Vale do Ribeira.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A retomada gradual do movimento nos estabelecimentos, devido ao avanço da vacinação contra a covid-19 e ao arrefecimento da pandemia nas últimas semanas, tem animado os representantes dos sindicatos patronais.


Muitos deles acreditam que os novos empregados têm uma chance ainda maior de serem efetivados nas empresas, pois muitas delas se viram obrigadas a demitir nos últimos meses para equilibrar as contas e, agora, precisam ampliar o quadro para prestar o serviço de forma adequada.


Segundo o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares da Baixada Santista e Vale do Ribeira (SinHoRes), Heitor Henrique Gonzalez Takuma, existe a perspectiva da criação de cerca de 10 mil vagas no setor.


Um dos problemas que mais preocupa a entidade é a contratação de mão de obra, porque muitos trabalhadores foram atuar em outros segmentos e alguns, com salários mais altos, abriram pequenos negócios.


“Precisamos criar novos postos de trabalho e treinar as pessoas, porque muitos não têm nenhuma experiência em nossa atividade. Por esse motivo, vamos ofertar cursos gratuitos para capacitar as pessoas e abastecer o estabelecimentos. Faremos capacitação para barman, ajudante de garçom e de cozinha, por exemplo”, disse.


O presidente do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista, Omar Abdul Assaf, acredita que em torno de 5 mil trabalhadores temporários devem ser contratados durante a temporada de verão.


Para facilitar a vida das empresas, foi estabelecido na convenção coletiva um piso para quem está ingressando no setor (em torno de R$ 1,3 mil), com duração de 90 dias.


“Essa mudança será muito importante para as lojas contratarem para a temporada. Acredito que teremos um dos melhores anos no que diz respeito à efetivação dos funcionários após o período de experiência. Normalmente, esse índice é de 25%, mas esse percentual deve passar dos 50%, pois muitos locais estão com deficit de pessoal”, justificou.


Na avaliação dele, muitos turistas devem escolher a região por economia, porque a alta do dólar inviabiliza viagens ao exterior e os resorts do Nordeste estão com preços altos.


O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) Santos-Praia, Nicolau Obeidi, explicou que as contratações devem crescer, inclusive nos estabelecimentos pequenos e médios. “Devem permanecer depois do período de experiências aqueles que trabalham direito e que se dedicam. Mão de obra qualificada é um desafio”, disse.


Logo A Tribuna