Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Após festas de fim de ano, Estado retorna à fase amarela do Plano SP

Salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais (com público sentado) podem continuar abertos, mas com restrições

Por: Por ATribuna.com.br  -  04/01/21  -  11:36
Atualizado em 04/01/21 - 11:44
O avanço ocorre após ter entrado na fase vermelha na última sexta-feira (1º)
O avanço ocorre após ter entrado na fase vermelha na última sexta-feira (1º)   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Mesmo sem a adesão das cidades da Baixada Santista, oestado de São Paulo retorna, nesta segunda (4), à etapa amarela do Plano SP deflexibilização da economia paulista. O avanço ocorre após ter entrado na fase vermelha na última sexta-feira (1º), como estratégia a fim de se evitar aglomeração na Virada doAno.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A medida foi adotada devido ao crescente aumento de casos, internações e mortes por Covid-19.Em decisão coletiva entre os nove prefeitos da região, a Baixada Santista não acatou a posição do governo paulista para regredir no planejamento econômico. Contudo, Santos, São Vicente, Guarujá e Bertioga fecharam as praias para evitar aglomeração.


A etapa amarela, que passa a ser válida a partir desta manhã,é a segundamais rígida do plano de cinco fases. As medidas restritivas têm foco em bares, restaurantes e cinemas, que ficaram fechados durante os dois últimos feriados prolongados de Natal e Réveillon.


Pelos atuais critérios da fase amarela, salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais (com público sentado) podem continuar abertos, mas com restrições.


São Pauloconcentraomaior número de casosconfirmadose mortos por Covid-19 no Brasil. Segundo relatório divulgado nesse domingo (3),1.471.422 pessoas foram infectadas e 46.845 morreram nas cidades paulistasem decorrênciaaonovocoronavírus.


As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 64,9% na Grande São Paulo e 61,8% no Estado. O número de pacientes internados é de 11.024, sendo 6.047 em enfermaria e 4.977 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 12h deste domingo. Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 609 com um ou mais óbitos.


Em dezembro de 2020, o número de casos aumentou 68%, e o de mortes em 57% em relação a novembro, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde.Na sexta-feira (31), o governo de São Paulo prorrogou a quarentena até o dia 7 de fevereiro de 2021.


Logo A Tribuna