EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Motoristas do transporte público de Bertioga entram em greve nesta segunda

Categoria reivindica pagamento de salários, vale-refeição e cestas básicas que deveriam ser quitadas no mês de maio

Motoristas da Viação Bertioga, empresa responsável pelo serviço de transporte público municipal, entraram em greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira. Nenhum veículo deixou a garagem no início da manhã.

Segundo a categoria, o motivo de paralisação é a falta de pagamento do salário, vale-refeição e de cestas básicas que deveriam ter sido quitadas no mês de maio.

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos e Região (Sindrod) disponibilizou seu departamente jurídico para apoiar os grevistas. 

Representantes da empresa, da Prefeitura de Bertioga e, também, motoristas se reuniram para dialogar sobre a situação financeira da Viação Bertioga, além das condições da greve.

A Viação Bertioga informou que o atraso dos pagamentos seria em razão das dificuldades financeiras enfrentadas pela empresa decorrentes da pandemia do novo coronavírus. Por conta das medidas de prevenção e fechamento do comércio, a frota de passageiros diminuiu bruscamente, segundo a empresa.

A Viação Bertioga afirmou que a greve é ilegal, pois não houve aprovação por assembleia no Sindrod. Em razão disso, a empresa afirma ter tomado as medidas legais cabíveis e aguarda a liberação de uma liminar para encerrar a paralisação e os motoristas retomarem suas atividades.

Nova greve

A nova paralisação de motoristas ocorre menos de um mês depois da greve feita pelos funcionários da Viação Bertioga, em 19 de maio, no aniversário de emancipação do munícipio. Na ocasião, a greve durou um dia, após acordo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Tudo sobre: