EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

24 de Agosto de 2019

Funcionário morre após ser sugado por tubulação de água em Bertioga

Wellington Ferreira, de 36 anos, se afogou durante procedimento de limpeza. Empresa acredita funcionário não cumpriu procedimentos de segurança

Um homem morreu durante o uma manutenção de uma rede de captação de água da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em Bertioga. Wellington Ferreira, de 36 anos, era técnico da empresa se afogou ao ser sugado pela pressão da tubulação que manuseava. A empresa indica que houve erro nos procedimentos de segurança na hora de realizar o procedimento.

Segundo informações divulgadas pela Sabesp, o acidente ocorreu às vésperas do ano novo. Ferreira realizava a limpeza e retirada de folhas de uma grade fixada na entrada da estação de captação de água responsável por abastecer a região central da Cidade.

Entretanto, desobedecendo a orientações de segurança da empresa, Ferreira removeu a grade que bloqueia a entrada da tubulação de dentro da água. De dentro da tubulação, Ferreira acabou sendo sugado pela pressão da água, ficando preso e se afogando, sem chance de ser socorrido.

Ainda de acordo com estatal, a recomendação é de que a grade seja removida para a limpeza de fora da água, e sem a presença de pessoas na área de captação. Equipes da de emergência chegaram a ser deslocadas ao local, mas encontraram o corpo de Ferreira, que trabalhava há seis anos na empresa, sem vida.

O corpo do técnico foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os procedimentos de praxe. O local também foi periciado pela polícia científica. A Sabesp lamentou o ocorrido e disse estar prestando apoio à família de Ferreira. Mesmo com o acidente, a estação não teve o funcionamento prejudicado e opera normalmente.

Sindicato critica postura da Sabesp

Em nota, a diretoria do Sindicato dos Urbanitários (Sintius) lamentou a morte de Wellington Ferreira e criticou a postura da Sabesp, que disse que o funcionário não seguiu as regras de segurança. Segundo o Sintius, "a equipe da Comissão de Análise e Investigação de Acidentes da própria estatal, composta por representante do Sindicato, ainda vai apurar a situação e não emitiu qualquer conclusão nesse sentido".

Além disso, o sindicato também informou que "a companhia não tem um procedimento padrão documentado para a realização de limpeza e retirada de grades nas entradas das estações de captação de água".

Por fim, o Sintius afirmou que tem todo o interesse de esclarecer o que aconteceu e cobrou da Sabesp providências para evitar novos acidentes de trabalho, bem como exigiu a retratação da companhia na imprensa em relação à acusação que fez ao funcionário falecido. O sindicato se colocou à disposição para prestar qualquer assistência à família do funcionário.

Wellington Ferreira, de 36 anos, se afogou durante procedimento técnico (Foto: Arquivo Pessoal)