EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

24 de Abril de 2019

Som praieiro do Atitude 67 invade Santos, com Thiaguinho

Show dos pagodeiros sul-matogrossenses e de seu padrinho vai agitar a tarde deste domingo (22)

O sucesso meteórico do grupo Atitude 67 tem muito a ver com o Litoral Paulista. Naturais de Campo Grande (MS),os integrantes fixaram residência em São Paulo, mas, com um som tão praieiro, encontraram nas nossas praias a inspiração para suas faixas.

Neste domingo (23), eles retornam a Santos acompanhados do padrinho, Thiaguinho, para uma apresentação na Arena Santos (Rua Rangel Pestana, 184), a partir das 16 horas.

O momento não poderia ser melhor: início do verão e com o recém-lançado EP na bagagem, 'Praia 67', que traz quatro músicas autorais inéditas: Solteirô, Abacagin, Nuvem e A Gente Se Pá. E todas com videoclipes gravados na Praia de Saquarema, no Rio de Janeiro.

“O Praia 67 é um trabalho com uma pegada mais verão e alto-astral. A terceira canção, inclusive, foi finalizada em São Sebastião (Litoral Norte). Nós fomos descansar depois de gravar um DVD e, quando percebemos, tínhamos terminado de compor 'Nuvem' ali, na Praia de Santiago”, comenta o vocalista, Pedrinho Pimenta. “O lugar com certeza foi uma inspiração para nós. Todos nós participamos da composição desse som de alguma forma e temos um carinho muito especial por ele e pela região”.

O sucesso repentino do Atitude 67 – que tem esse número por conta do prefixo de Mato Grosso do Sul – passa pela sonoridade do grupo, que consegue fazer uma boa mistura de reggae com pagode, samba e alguns flertes como RAP. Pedrinho, entretanto, acrescenta a identificação dos fãs com as letras.

“A gente gosta de passar uma energia boa, animada e, principalmente, a nossa verdade. Acreditamos que a principal razão da galera estar curtindo nosso som é por causa da verdade que procuramos passar em nossas músicas”, acredita ele. “Todas as nossas canções são autorais e nós mesmos que escrevemos sobre o que vivemos. Achamos que o público se identificou bastante com o single, porque ele faz parte da realidade das pessoas”.

Quanto ao som, Pedrinho destaca que os seis integrantes são ecléticos e com influências musicais bem distintas uns dos outros. “Escutamos a galera das antigas e também a nova geração. Mas tem alguns artistas que todos admiram, como Jorge Benjor e Zeca Pagodinho”.

O ponto de virada do grupo para o sucesso veio com o hit Cerveja de Garrafa, que despertou a atenção de celebridades como Neymar e Thiaguinho. “Percebemos que o som começou a bombar mesmo quando passou a tocar várias vezes na rádio”, recorda o vocal.

Parceria com Thiaguinho

O contato com Thiaguinho, parceiro no show de Santos, neste domingo, teve início por intermédio do produtor do grupo, Dudu Borges, que enviou uma faixa do Atitude para o pagodeiro. “Para nossa alegria, ele curtiu o som e nos apadrinhou. Desde então, existe uma troca muito grande entre a gente. Ele nos aconselha e está sempre pronto para somar ainda mais ao nosso trabalho”.

Sobre o visual, que nada tem a ver com grupos de samba e pagode tradicionais, Pedrinho garante que não é nada proposital. Tem a ver com a vivência de cada um dos integrantes. Quem vê as fotos de divulgação pensa até se tratar de uma banda de reggae ou hardcore.

“Na verdade, nós não rotulamos o nosso som. Cada um de nós foi criado de uma maneira e temos referências diferentes. E a gente gosta dessa diversidade! Consideramos o nosso som uma mistura de todas essas influências. Assim como o nosso jeito de se vestir”, justifica Pedrinho, que não vê muito sentido em ficar preso a um estilo.