EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Orquestra Sinfônica de Santos apresenta projeto 'OSMS Perto de Você'

De forma virtual, maestro Luís Gustavo Petri traz entrevistas e detalhes sobre os setores dos instrumentos

Há 40 dias, a Secretaria de Cultura de Santos criou uma série de conteúdos voltados ao setor no canal Cultura Santos, no YouTube. O ambiente já conta com mais de 2 mil inscritos, e mais de 44 mil visualizações em entrevistas, shows, performances, videoaulas, entre outras atrações. 

Um dos conteúdos é a série A OSMS Perto de Você, que desde a última semana tem novidades. Após a sequência de entrevistas com músicos convidados, agora o maestro Luís Gustavo Petri irá detalhar a formação de uma orquestra sinfônica e como é feita a divisão por setores. 

“Vamos contar curiosidades, como a orquestra é feita, como que acontece, os instrumentos. Começou na semana passada e vai seguir a série”, explica o maestro Luís Gustavo Petri. 

O objetivo do projeto é trazer informações variadas do universo da música erudita, com foco no aspecto educativo, próprio para crianças, além de algumas audições comentadas. “Estamos preparando um conteúdo bem legal”. 

A série se destina a qualquer pessoa interessada em conhecer o trabalho da orquestra. “Para quem já conhece, para quem quer conhecer, saber curiosidades, conhecer a gente, as entrevistas mostram um lado curioso dos músicos, um lado que as pessoas não conhecem”, convida o maestro. A duração dos vídeos varia, mas gira em torno 10 a 20 minutos cada um. Quanto aos temas, são sempre relacionados a música e, principalmente, sobre a orquestra sinfônica em si. 

Experiência Virtual 

O processo de adaptação ao mundo virtual se tornou mais rápido por conta da pandemia. As plataformas digitais viraram mais do que nunca uma ferramenta de grande importância.

“A experiência virtual está sendo muito desafiante, mas, no bom sentido, nós já tínhamos planos de fazer essa atividade on-line, mesmo antes da pandemia. Estávamos já organizando um tipo de atividade que pudéssemos disponibilizar na internet, nos canais e nas redes sociais”. 

Segundo Petri, está sendo um grande aprendizado. “Estamos aprendendo bastante com a experiência virtual e tenho certeza de que o resultado será muito bom”. 

Apesar do susto dos músicos de terem suas apresentações e shows cancelados, onde havia sempre um público presente para prestigiar, a intenção é sempre se adaptar ao tempo presente. “Um primeiro momento foi meio que de perplexidade, pois nossa profissão é de performance, é a pessoa que está lá tocando, ao vivo. Então foi um susto”, conta. “O impacto em nossa vida foi grande, mas estamos nos superando, produzindo, e isso é bom”. 

Alguns conteúdos demandam mais atenção e trabalho, como os vídeos em que todos os músicos tocam juntos, nos tempos atuais de isolamento social. Eles são gravados separadamente pelos músico e depois, com ajuda da tecnologia, todos os vídeos são incorporados e se completam.

“Isso dá um certo trabalho em questões técnicas, apanhamos bastante no início. Nas quintas-feiras, já vamos ter um momento que vários músicos estão tocando juntos”. 

Retorno

O retorno das apresentações é imprevisível. “Esse retorno vai depender mesmo de como a pandemia vai se comportar, de como as autoridades e os protocolos serão definidos. Se terá que ser uma orquestra menor, mais distanciada, público separado, dependerá de uma série de decisões”, comenta o músico. 

Conforme destaca, no mundo todo estão se estudando protocolos de retorno e, mesmo assim, estão sendo pensados com calma, para que não se dê um tiro no pé, de começar e depois ter que parar de novo. “Então, qualquer tipo de previsão é incerta”.

Tudo sobre: