EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

28 de Fevereiro de 2020

Funko Pop: bonecos cabeçudos conquistam legião de fãs

O ano de 2018 foi o com mais produções de bonecos da companhia

Você, provavelmente, já deve ter visto no shopping ou no feed das redes sociais bonequinhos cabeçudos, com olhos grandes, sem boca e com um apelo gigante para a fofura. Conhecidos como 'Funko Pop' e chamados pelos fãs de funkos, cabeçudos, pops ou pingos, foram criados pela empresa americana de mesmo nome e são, atualmente, uma febre mundial. 2018 foi o ano com mais produções de bonecos da companhia: exatos 3.483 de vários personagens da cultura pop. E os fãs abrangem todas as idades, é bom ressaltar!

Séries, filmes, jogos, músicos, personalidades e até a família real da Inglaterra. Sem contar os diversos tipos de exclusivos: os que brilham no escuro, os de veludo, os especiais de convenções, como Comic Con, e de lojas, como Hot Topic.

Neste ano, já foram produzidos 654 modelos, com mais por vir. “Acho que o que tem de especial é essa diversidade. Lançam desde jogadores de futebol até personagens de séries e de filmes que as pessoas tanto amam. O lema da marca é bem inteligente: todos são fãs de alguma coisa”, declara o dentista Nicolas Möhrle, de 24 anos.

Ele tem mais de 80 funkos que juntou desde 2014. Sua estante só não é maior pois também tem outras coleções. “Às vezes, é complicado por causa do dinheiro e para achar espaço. Mas, no geral, é muito satisfatório quando você recebe aquela figura que tanto queria”.

O dentista prefere não saber o quanto gastou até agora, mas não pretende parar com sua coleção. “Vou atrás dos raros que deixei passar ou dos novos que me interessarem”.

Raridade
Com mais de duas décadas de história, é possível achar pops que custam mais de US$ 10 mil. De acordo como aplicativo da Funko, o colecionável mais caro da marca, atualmente, é o do filme Laranja Mecânica. A versão que brilha no escuro do personagem Alex DeLarge está valendo R$ 52.139,00. Isso não significa que só é possível encontrá-lo por esse preço. O valor é apenas uma estimativa, seja por sua grande procura ou pela pouca fabricação do produto, aumentando sua raridade.

O funko ideal
Há várias formas de se comprar um funko. O segredo do bom negócio é a pesquisa. Entre em grupos de Facebook que vendem pops, procure em sites, em lojas físicas e até no Mercado Livre. Outra opção é importar ou comprar em viagens.

É o caso de Nathália Figliolino, de 28 anos. A personal trainer descobriu esse mundo em uma de suas viagens aos EUA. Se apaixonou e começou a colecionar em 2017. Mas, ao comparar os preços, chegou à conclusão de que iria vendê-los.

“Decidi começar a vender pela grande procura por esses bonecos. Percebi que era uma boa fonte de segunda renda”, conta ela. “Sempre compro nos EUA para revender aqui no Brasil. Nós compramos lá nas lojas e trazemos para revender aqui”.

Ainda segundo Nathália, esse processo vale a pena para quem vende. Isso porque lá é possível encontrar funkos por US$ 10,00, enquanto aqui as lojas físicas vendem por R$ 100,00. “A procura é bem grande, por a Funko Pop sempre lançar coleções novas e as pessoas quererem as novidades”.

Procurar pelo funko é uma das partes mais empolgantes para quem coleciona. Eu, por exemplo, tenho cerca de 130 espalhados pelo meu quarto. São cabeçudos da Disney, do Harry Potter, de séries e filmes. Muitas vezes, já deixei de comprar algo considerado necessário para adquirir outro funko.

Eles são viciantes e apaixonantes. Eu, Nicolas, Nathália, Lucca e Vanessa garantimos que colecionar é um sacrifício, mas muito satisfatório.

Pode parecer loucura, porém, nada se compara à sensação de chegar em casa e receber aquela encomenda que tanto esperava, com um novo e apaixonante funko para adicionar à coleção.

Tudo sobre: