EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Dudu Azevedo está em dose dupla na telinha e festeja os dois papéis

Ator aparece na global "Fina Estampa" e na bíblica "Jesus", da Record. Ele também alerta para o isolamento social

Dudu Azevedo está simultaneamente no ar nas reprises de Fina Estampa e Jesus, no horário das 21h na Globo e 21h30 na Record, respectivamente. Enquanto na trama de Aguinaldo Silva o ator interpreta o lutador de MMA Wallace Mu, no folhetim bíblico ele dá vida ao protagonista Jesus. Segundo o artista, é uma alegria rever as trajetórias dos personagens nas edições especiais, exibidas por causa da paralisação das gravações nas emissoras, em virtude da pandemia do novo coronavírus.

“São personagens muito distintos, mas, ao mesmo tempo, satisfatórios. Entendo como uma grande vitória estar no ar com papéis marcantes em duas emissoras diferentes. Em cada um acumulei experiências e crescimentos particulares e fico feliz por tê-los feito”.

Em Fina Estampa, exibida originalmente entre 2011 e 2012, Wallace para de lutar MMA ao descobrir uma doença no coração. No entanto, o atleta procura uma segunda opinião médica, acaba fazendo um tratamento e se cura da enfermidade. Dessa forma, o personagem volta ao octógono e recupera o título de campeão da modalidade. De quebra, ele termina a história ao lado de Dagmar (Cris Vianna). Segundo Dudu, seu papel na novela colaborou para a divulgação do esporte no Brasil.

“Fina Estampa foi um trabalho divertido. Estive com pessoas queridas e falando de um esporte que despontava no Brasil. Sendo na TV aberta, comunicávamos ao grande público a respeito do MMA. Foi muito gratificante ser um elo desse esporte com o povo”.

De 2012 para cá, muitas mudanças aconteceram na vida de Dudu Azevedo. Entre elas a migração da Globo para a Record. Na atual emissora, o ator de 41 anos começou em um papel de destaque na segunda temporada de Os Dez Mandamentos (2016), como o vilão Zur. Depois emplacou dois protagonistas: o Asher de O Rico e Lázaro (2017) e o personagem-título de Jesus (2018). 

A novela bíblica foi seu último trabalho na televisão e lhe deixou ensinamentos que vê como fundamentais para a sociedade, especialmente neste momento difícil que o Brasil atravessa. “Jesus deixou em suas histórias muitas lições atemporais para a humanidade. Percebo que num momento como esse, de fragilidade e insegurança, precisamos ter muita fé e positividade, praticar o amor e tantas outras coisas que foram premissas fundamentais de Jesus em sua passagem por aqui”.

Mantendo distância

Por mais que medidas de flexibilização da quarentena já estejam em vigor em muitos lugares, Dudu fala sobre a importância de se manter em isolamento o máximo possível.

De acordo com o ator, a sua rotina tem sido restrita e desafiadora, ao lado da família. Entretanto, ele reconhece os privilégios que tem por não ser obrigado a se expor ao vírus como é o caso de muitos brasileiros.

“Tenho sentido as dificuldades do distanciamento social, mas reconheço que sou privilegiado. E, dentro da realidade do nosso país, as dificuldades que enfrento são mínimas. Fico profundamente entristecido que o povo brasileiro sofra tanto com o descaso, a falta de recursos, a má administração e que, mesmo diante da gravidade da situação que estamos passando, ainda enfrentemos uma crise política, a corrupção e o desgoverno”.

Para Dudu, o isolamento social é uma questão de responsabilidade. Por isso, as pessoas não deveriam minimizar os graves danos causados pela covid-19. “Enfrentamos uma pandemia e, ainda que seja difícil, é preciso respeitar as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Não cabe ser leviano ou irresponsável quando algo diz respeito à saúde mundial”.

Tudo sobre: