Drama adolescente Grand Army estreia sexta

Baseada na peça Slut: The Play, escrita em 2013 pela roteirista e professora de teatro Katie Cappiello, que também leva o crédito de criadora de Grand Army

Em uma época de efervescência de movimentos sociais, cinco alunos da maior escola pública do Brooklyn, em Nova York, nos Estados Unidos, turbinados pela inquietação característica da adolescência, lutam pelos seus desejos, por um futuro melhor e também pela sobrevivência. Essa é a premissa da série Grand Army, que estreia nesta sexta-feira no serviço de streaming Netflix.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Baseada na peça Slut: The Play, escrita em 2013 pela roteirista e professora de teatro Katie Cappiello, que também leva o crédito de criadora de Grand Army, a atração em dez episódios é focada no dia a dia desses cinco estudantes: Leila Kwan Zimmer (Amalia Yoo), uma sino-americana que é adotada por pais judeus; Siddhartha Pakam (Amir Bageria), atleta indiano e capitão da equipe de natação da escola, que tenta lidar com a sua sexualidade; Jayson Jackson (Maliq Johnson), um aspirante a músico; Dominique Pierre (Odley Jean, que foi aluna de Katie), uma haitiana batalhadora e craque em matemática; e a narradora da história, Joey Del Marco (Odessa A'zion), violentada por três amigos em uma festa .

“Esse é o trabalho da minha vida. Digo isso porque vou fazer 40 anos e passei 18 anos da minha trajetória criando esse projeto”, afirmou Katie, em recente entrevista à revista americana Entertainment Weekly. “Foram anos ouvindo meus alunos comentarem, por vezes desesperados, sobre suas dificuldades, relacionamentos e anseios. Eu peguei tudo isso e coloquei na série, fundindo essas situações na pele dos cinco personagens principais”, contou ela. (Estadão Conteúdo)

Tudo sobre: