Aberta a temporada de belas imagens

Du Zuppani dá dicas de como garantir os melhores cliques nas férias

Nas férias, a Baixada Santista recebe milhares de turistas ávidos por registrar as belezas naturais da região que, por sinal, não se limitam às praias, claro. E para auxiliar nessa missão, o premiado fotógrafo Du Zuppani, organizador do festival Revela Bertioga, dá dicas para aqueles que querem fazer registros por aqui e também nos destinos pelo País afora ou no exterior, seja com celular ou as máquinas fotográficas!

Apesar da larga experiência com as máquinas analógicas, Zuppani, natural de Taquaritinga, no Interior, reconhece o potencial dos celulares na captação das imagens.“É um equipamento que está trazendo novos recursos para a fotografia. A grande dica é que as pessoas busquem tutoriais na internet de como utilizá-lo da melhor forma”.

E assim como ocorre com as máquinas tradicionais, Du Zuppani alerta que é preciso ter um planejamento antes de sair de casa. “Carregar a bateria, limpar a memória... A fotografia aparece quando as pessoas menos esperam. Então é fundamental estar com ele sempre à disposição”.

Riquezas naturais

Entre os temas que mais devem chamar a atenção de turistas na região estão as riquezas naturais e culturais – duas paixões de Zuppani, por sinal. Por isso, o fotógrafo acredita na importância de alinhar estes fatores com o turismo.

“Seria importante que os guias de turismo locais indicassem alguns pontos interessantes para que os visitantes fotografassem. Não só espaços como os melhores horários, do nascer ao pôr do sol, e onde acontece, para que eles aproveitem as diferentes luzes do dia”.

O profissional acredita na existência de um fotógrafo dentro de cada um. E que, para soltá-lo, basta confiar no olhar pessoal, sem receio de fotografar.

“O DNA da fotografia começa pelo olhar.Você olha, se emociona, percebe e fotografa. E isto não se compara, ninguém tem um olhar melhor do que o outro. Na verdade, o que existe são treinos nos olhares e nas técnicas”, pontuou.

Mas antes de sair mostrando os registros ao longo da viagem, Zuppani aconselha se faça uma análise mais completa das imagens, no computador. “É lá que você perceberá os erros e acertos. Fazendo isso, terá fotos cada vez melhores”.

Revela Bertioga

Quanto ao Revela Bertioga, para o idealizador do festival, este ano foi marcado por grandes e importantes mudanças. Agora, os registros exibidos na última mostra voltarão a ser apresentados ao público.

A partir de sexta-feira (28), o Sistema Integrado de Vendas da Riviera de São Lourenço (Largo dos Coqueiros, 15, módulo 5) recebe parte das fotografias expostas em novembro, em Bertioga. As obras seguem no espaço até 2 de fevereiro. “Depois, as fotos retornarão a Bertioga e, posteriormente, seguirão para algumas cidades vizinhas e para o Interior”, adiantou Du Zuppani.

As atividades do Revela Bertioga serão retomadas já no primeiro semestre de 2020, com a realização de cursos e oficinas. “O Revela não para, ele é contínuo! O que acontece no final do ano é justamente o ápice de um trabalho realizado ao longo dos outros 11 meses.

Tudo sobre: