Brasileira alcança velocidade de internet que pode baixar mil filmes em um segundo

Em Londres, pesquisadora Lídia Galdino atingiu a velocidade de 178,08 terabits por segundo

Uma internet capaz de baixar, em apenas um segundo, mil filmes em alta definição, cada um com o tamanho de um disco Blu-ray (25GB). Esse é o recorde de velocidade em fibra óptica, estabelecido por uma pesquisa da University College de Londres (UCL) e liderada pela engenheira brasileira Lídia Galdino.

Durante dois anos, os cientistas desenvolveram um trabalho dividido em duas frentes. Na parte de hardware, foi criado um amplificador de sinal aprimorado, para que os cabos de fibra óptica não percam qualidade de sinal. Já em software, houve otimização na codificação de dados.

A conexão atingida é, em média, três vezes mais rápida que as melhores conexões de fibra disponíveis para compra atualmente (60 Tb/s), O recorde anterior, obtido por pesquisadores no Japão, era de 150 Tb/s.

Lídia destaca que, para melhorar a velocidade, as operadoras podem investir em amplificadores já existentes. Eles estão presentes em intervalos de 40km a 100km de fibra, ao custo de cerca de US$ 21,1 mil (R$ 112 mil na cotação atual) por unidade. O custo de uma nova fibra, por quilômetro, é estimado em US$ 594 mil (R$ 3,1 milhões) pelos pesquisadores.

A chegada da próxima geração de internet móvel, o 5G, pode impulsionar ainda mais a demanda por melhores conexões. "Independentemente da crise de Covid-19, o tráfego da internet aumentou exponencialmente nos últimos 10 anos", destaca a pesquisadora.

*Com informações do G1

Tudo sobre: