EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

14 de Julho de 2020

Aplicativos de vídeo encurtam distâncias durante a quarentena

Conheça opções que fazem sucesso no período de isolamento social

Antes da pandemia do novo coronavírus, fazer uma videochamada era algo praticamente restrito a profissionais fora do escritório ou a quem queria matar a saudade dos parentes durante uma viagem, porém, a covid-19 fez tudo isso mudar e o contato por vídeo se tornou parte do dia a dia de milhões de pessoas.

Os usos são os mais diversos, seja para funcionários que precisam trabalhar em casa devido à adoção do home office, professores e alunos que mantêm contato por conta das aulas on-line e aqueles que só desejam manter contato com as pessoas que estão isoladas em casa por pertencerem à faixa de risco da covid-19.

Segundo especialistas em tecnologia, os aplicativos de videochamada foram se desenvolvendo de tal forma ao longo do tempo a ponto de não haver mais diferenças entre aqueles que são usados para fins pessoais e necessidades profissionais.

Os recursos, antes limitados por questões técnicas e de público-alvo, foram se mesclando. Hoje, o mesmo aplicativo serve para conversar informalmente, fazer reuniões, comemorar aniversários de forma virtuais ou simplesmente jogar conversa fora.

Nesta página, você pode conferir uma lista com oito opções de aplicativos aprovados por analistas de sistemas e conhecer as vantagens de cada um.

Jitsi

O Jitsi é uma plataforma de videoconferência sem fins lucrativos. A diferença é que não há necessidade de baixar o programa nem colocar um e-mail válido. No site, qualquer pessoa pode criar uma conferência e chamar outros a participar pelo envio de um link. É o mais simples de todos.

Zoom

O Zoom é um aplicativo de vídeoconferência que permite até 100 pessoas em uma reunião. Na modalidade gratuita, ele libera chamadas por até chamadas por até 40 minutos. Para uma necessidade que vá além disso, é preciso adquirir um plano pago. Para acessar, a pessoa precisa baixar o app, tanto no desktop (o computador de casa) quanto no smartphone. Seu uso é bem simples e permite até algumas funcionalidades adicionais, como usar um fundo falso e fazer apresentações de slides dentro da chamada.

Microsoft Teams

O Microsoft Teams é a solução de videoconferência que integra o pacote de ferramentas corporativas da Microsoft, a Office 365. É pago, mas durante a pandemia foi liberado gratuitamente. É o maior em capacidade: até 10 mil participantes. O app permite também o acesso por meio de links, ou seja, dá para entrar pelo computador sem precisar instalar nada,

Skype

Também da Microsoft, o Skype é uma das mais antigas plataformas de chamadas on-line. O aplicativo permite videoconferências com mais de 10 participantes. Para acessar, é preciso baixar o programa tanto no computador quanto no celular e criar uma conta.

Line

O Line, a exemplo de outros apps como o Skype, surgiu como uma ferramenta de videochamadas. Ele permite chamadas entre duas pessoas e também em grupos. É gratuito e prevê o envio de imagens, textos e documentos na chamada.

Google Hangout

O Google Hangout é apontado como um dos melhores no quesito videochamada. A única diferença é que tem que baixar no celular, usando sua conta Google (aquela com e-mail do Gmail). Ele permite reuniões com até 150 pessoas. Também tem várias funções, como fazer apresentações dentro da plataforma.

WhatsApp

O WhatsApp permite vídeochamadas com até quatro pessoas. Na versão acessada pelo PC não funcionam, só pelo celular mesmo. Apesar da facilidade, só é possível conversar em até quatro pessoas, por isso ele é mais indicado para algo informal ou pequenas reuniões.

Facebook Messenger

O Facebook, que também é dono do WhatsApp, possui como solução de vídeoconferência o Messenger. Por causa da pandemia, foram liberadas ligações envolvendo até 50 pessoas. É bem simples de usar e recomendado por especialistas.

Tudo sobre: