Revo, novo endereço gastronômico de Santos

Em um edifício de mil metros quadrados, espaço tem pães, doces e cafés que valem a visita

Há cinco anos, quando a Revo nasceu, em uma garagem na Ponta da Praia, a ambição dos jovens sócios era revolucionar o mercado de café, garimpando grãos diferenciados, de altíssima qualidade, Brasil e mundo afora. 

Um edifício de mil metros quadrados abriga a novidade

A ‘brincadeira’ foi ficando boa e eles decidiram sacudir bem mais do que cabe em uma xícara. Foi preciso um prédio de dois andares e 1.000 m2, para dar vazão à vontade de revolucionar. E, ontem, eles abriram as portas do Edifício Revo, no número 737 da Epitácio Pessoa, endereço que já é obrigatório para quem gosta de boa comida. Ali, no térreo, funciona o empório, a padaria, a cafeteria e o restaurante-- este último ainda fechado, mas que em breve terá do brunch até o jantar. 

Por enquanto atendimento somente para viagem

A arquitetura, assinada pelo Estúdio Pena, o mesmo de restaurantes como a Padoca do Mani, é um convite a ficar sem pressa. Informal, tem espaços amplos, arejados, área verde e muito vidro. O ponto focal são os equipamentos, supermodernos, da cafeteria, cozinha e pizzaria. Tudo ali foi escolhido a dedo. A máquina de espresso, por exemplo, é como uma Ferrari das cafeteiras, da marca italiana Victoria Arduino. 

Fornadas de pães diversos saem a toda hora

Pão de cará e cafezinho

Não espere nada comum da Revo. Ali, o trivial é transformado e elevado. Tudo tem uma história de dedicação, estudo e muitos testes. Entre os sócios, Vinícius Ferreira é o especialista em panificação. Engenheiro, deu uma guinada na vida, e mergulhou no universo dos pães. Foi para Califórnia e aprendeu com os melhores. Passou a dedicar-se ao preparo dos pães de fermentação lenta, natural. Não deixe de experimentar o pão de cará (R$ 4,50/100g), feito com cará de verdade. Uma delícia, autêntica e bem santista.

O pão sourdough, feito com leveduras selvagens, é outra especialidade da casa. Ele pode ser encontrado em várias versões como de abóbora, multigrãos, azeitonas (R$ 4,50/100g). A casca caramelizada da baguete (R$ 3,50) faz toda a diferença no sabor. 

Quer comer um croissant (R$ 7,75/50g) como na França, sem sair da cidade? É possível. A massa é folhada com manteiga francesa, e pode-se enxergar todas as camadas do folhado na primeira mordida. O pain au chocolat (R$ 9,25/50g) também tem o poder de te transportar para Paris. 

Claro, acompanhe esses pães como os cafés, afinal essa é a origem da Revo. Vitor Ladaga, outro sócio, é criterioso na escolha dos blends. Desde o garimpo dos grãos, até a classificação, a torra e a moagem, são feitos pela equipe. Do balcão, além do espresso (R$ 7), saem cappuccino (R$ 12), coado (R$ 8), machiato (R$ 10) e outras bebidas. Vitor também especializou-se em confeitaria e das suas mãos saem maravilhas como as tortinhas de frutas e bolos que enfeitam a vitrine de doces. 

Sorvete tipo soft de pistache iraniano com frutas vermelhas na casquinha de manteiga da casa (foto Alexsander Ferraz)

No cardápio do empório/padaria/cafeteria ainda é possível encontrar sorvete, como o de pistache iraniano com frutas vermelhas, servido na casquinha de manteiga produzida no local. Além de cookies, tortas salgadas, brownies, focaccias, que irão variar todo dia. 

“Sempre teremos novidades e tudo que já ficou famoso na Revo”, diz Paulo Nakai, outro sócio do empreendimento juntamente com Nilson Ferreira dos Santos. Paulo explica que a ideia é abrir o restaurante e a pizzaria daqui um mês. “Teremos também chope e uma carta de drinques fantástica, criada por Danilo Nakamura e Michelly Rossi, eleita melhor bartender de São Paulo”. 

Mas não espere o restaurante abrir. Dê uma passada agora na Revo, porque vale a visita. O lugar é especial e dos seus fornos e torneiras saem preciosidades produzidas com o equilíbrio entre profissionalismo e paixão.

Serviço: Revo (Rua Epitácio Pessoa, 737, Ponta da Praia, Santos). Funciona de quarta a domingo, das 9h às 19h, por enquanto sem consumo no local.

Tudo sobre: