Ventiladores de teto são indispensáveis no calor

Equipamentos refrescam os ambientes e estão cada mais modernos

Não tem jeito: quando o calor chega, quem mora na região não aguenta ficar sem ventilador. E os de teto são os preferidos, já que conseguem refrescar os ambientes de uma maneira generalizada. Só que, durante um tempo, muita gente fez cara feia para o equipamento, e agora, ele está cada vez mais moderno  e integrado à decoração.  

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Uma das grandes vantagens é que o modelo de teto pode ser instalado em qualquer lugar da casa, até no banheiro. “Desde nos quartos, varandas, salas de antar, estar, cozinha e até nos banheiros”, observa a arquiteta Cristiane Schiavoni. 

No entanto, cada lugar possui as suas especificidades. “Nos dormitórios, o recomendado são as peças mais silenciosas e com controle remoto, o que facilita o seu acionamento. Já em ambientes sujeitos à umidade, à gordura, ao calor e ao vento, os ventiladores devem ser mais resistentes, aqueles fabricados com materiais adequados para essas condições”, acrescenta a arquiteta.  

Aliás, uma das características desse aparelho, assim como tudo relacionado à tecnologia, é que ele evoluiu, ganhando novos designs e avanços tecnológicos. Além da versatilidade, o item possui inúmeras vantagens. “Com a sua evolução, ele vem deixando de ser um equipamento controverso e passou a contar com diferentes opções de cores, formatos, tamanhos e acabamentos”.  

Se você está pensando em inserir ventiladores de teto na residência, alguns cuidados não podem faltar: 

Instalação 

Na hora de comprar um ventilador de teto, para garantir o melhor desempenho possível, é necessário verificar o consumo energético, a voltagem, se o tamanho da peça vai ficar desproporcional ao cômodo em que será instalado, durabilidade, tipo de motor, quantidade de pás e a altura da instalação ideal de acordo com o pé-direito, alerta Gabriela Yokota, especialista em Design  e Tendência da Yamamura.  

Para a correta colocação, também é importante notar se a distância entre a pá e o teto é de 20 cm (no mínimo) e da pá até o chão, de pelo menos 2,3 metros. “Sendo assim, o pé-direito mínimo necessário é de 2,5 metros”, reforça Gabriela.  

Cristiane Schiavoni completa: “As pás do ventilador de teto devem registrar uma distância mínima de 0,5 m das paredes e móveis altos”. 

E a parte elétrica deve ser avaliada atentamente. Antes de tudo, é preciso se preocupar com as voltagens, elegendo o modelo compatível com o padrão de funcionamento da residência.  

“O auxílio de uma mão de obra especializada é fundamental, principalmente nas situações em que serão usados dois retornos, um para ligar a luz e outro para o ventilador”, aconselha a arquiteta.  

Cuidados valiosos  

Não é recomendado que o equipamento seja instalado em lajes de concreto, para que fiquem mais seguros. “Se, por acaso, houver um rebaixamento de gesso, será preciso utilizar uma haste mais longa, para evitar eventuais problemas”, orienta Gabriela Yokota.  

Cristiane não considera a fixação diretamente em um rebaixo de gesso, pois corre-se o risco iminente de a estrutura cair. “Nesses casos, o melhor é incluir uma viga na laje, de forma que aumente a resistência do teto. A superfície deve suportar uma carga de até 25 quilos”.  

Ventilador de teto x ar-condicionado  

Não tem como negar que o ar-condicionado se tornou o queridinho da população, principalmente em lugares com temperaturas altas. Porém, isso não anula a importância do ventilador de teto e há casos em que os dois equipamentos convivem em harmonia.  

“O ar-condicionado traz o controle da temperatura, sendo essa a sua maior vantagem. Já o ventilador de teto oferece mais frescor, uma vez que as janelas podem ficar abertas, o que não é possível no primeiro caso”, lembra Cristiane.  

Modelos  

Gabriela diz que o ventilador de teto (com ou sem iluminação) é indicado para movimentar o ar igualmente por todo o espaço, ornando o ambiente bem mais agradável.  “Já no caso do modelo de parede, a ventilação é mais forte e direta, enquanto os de mesa têm uso parecido com os de parede, porém numa área menor”.  

Manutenção  

A limpeza é primordial, tanto da peça quanto do ambiente. Com o tempo, a poeira se acumula nas pás e, se não for retirada, se espalha. “A higienização é essencial para evitar a proliferação de ácaros, que, por sua vez, podem causar alergias e doenças respiratórias”, finaliza a arquiteta.