EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Transforme sua sala de jantar: ela pode ser o ponto mais belo da casa

Espaço pode integrar cômodos e ser superconfortável ao mesmo tempo

A sala de jantar, décadas atrás, era um cômodo mais usado em ocasiões especiais ou em reuniões formais de família. Mas assim como a cozinha, que com o tempo deixou de ser escondida para ser exibida, a mesa de jantar mudou. Em muitos lares, virou a joia da casa, capaz de integrar não só pessoas como ambientes, permitindo o uso de peças decorativas que reforçam o estilo dos donos e se tornando, assim, o centro das atenções. 

Desvinculada do ambiente, praticamente ela não existe mais. O mais comum é que, próximo à sala de estar, esse espaço receba decoração mais despojada ou em combinação com os demais ambientes da casa.

Especialistas indicam que para ter uma boa sala – ou mesa – de jantar são essenciais três cuidados: levar em conta o nível de conforto e os tipos de móveis e iluminação que vai usar. De acordo com o arquiteto Leonel Fernandes, não é regra ter uma sala de jantar clássica, de novela. Cada ambiente precisa ser pensado, de acordo com a realidade e o com o estilo de cada pessoa. O que não mudou com o tempo foi a possibilidade de se criar nesse espaço uma experiência. Veja dicas para ter uma sala de jantar perfeita.


Ambientes podem ser despojados e coloridos. (Foto: André Monteiro)

Conforto

Cadeiras. “Além da sua representação social, o momento de sentar para comer é um hábito saudável para a família. Mas para que a permanência no espaço seja proveitosa é primordial escolher cadeiras confortáveis, com atenção à ergonomia”. Conforto

  • Leonel Fernandes ainda ensina que não necessariamente as cadeiras precisam ser estofadas e, sim, confortáveis. “Tem que sentar para conferir. Alguns modelos não estofados oferecem um conforto ergonômico muito bom. Tem a ver com a inclinação para abraçar o corpo. Por isso, uma cadeira da sala de estar, geralmente inclinada para trás para relaxar, não serve para a mesa de jantar. Para comer, nós nos projetamos para frente”.
     
  • Espaço entre as cadeiras. Esse também é um item fundamental. O ideal é considerar que cada pessoa ocupe um espaço entre 60 e 70 cm. Então, em uma mesa de 1,80m, deve-se colocar até seis cadeiras. Para usar mesas de medidas menores é preciso pensar em cadeiras mais estreitas. As de formatos curvos são as que ocupam menos espaço na composição. 

Móveis

  • Mesas. Peça principal na montagem da sala de jantar, ela não tem um padrão. E não precisa ser grande. Apenas a altura deve ser respeitada, para que a refeição seja apreciada confortavelmente. Em média, o mercado padroniza mesas de jantar com alturas entre 72 e 80 centímetros. 
    O formato também não é padrão. Há designs únicos pensados para cada família e até modelos estilizados, que lembram, por exemplo, uma prancha de surfe (Baía Formosa, a R$ 19.823,96) ou mesa de pingue-pongue (PingxPong, a R$ 30.526,69), do Estúdio Mula Preta.
    Mesas quadradas precisam de ambientes com mais espaço. E as redondas acomodam mais pessoas em um clima mais intimista, porque sempre é possível colocar mais um, assim como nos modelos ovais. Os retangulares são mais comuns para a maioria dos espaços. 

     
  • Tampos.Gisele Leal, proprietária da Sierra Móveis Gabriel, lembra que mesas laqueadas são as mais brilhantes, mas as mais sujeitas a riscos. Para acabamentos assim, o ideal é buscar um modelo com vidro em cima.
    Tampos de vidro também são indicados para ambientes menores, diz ela. “Quando você quer um ambiente mais clean, com mais leveza, é a melhor opção, pois o vidro deixa a luz passar”. Mas não existe regra para o acabamento. 
    É questão de gosto. “Há madeira pintada, que tem um leve brilho em cima, sem tanto desgaste como a laca e as madeiras maciças. Lembrando que a madeira é mais fácil de recuperar”.

Iluminação 

  • Pendentes. Iluminar também é um fator crucial para criar uma ambientação de aconchego e intimismo. Por isso, geralmente, a iluminação do ambiente é separada, com luz baixa, para que não ofusque as pessoas à mesa, por meio de um pendente. “Usamos sempre esse recurso, porque a luz colada no teto projeta mais sombras nos pratos, geradas pelas próprias pessoas”, diz Leonel Fernandes. 
  • Espelhos. Eles intensificam a composição escolhida entre mesa, cadeiras e pendente. Se o espelho fica atrás da mesa, duplica o visual. Ao lado, prolonga a luminária. Estimula a contemplação.

    Buffet auxiliana hora de guardar louças e de servir. (Foto: André Monteiro)
     

Mais Itens 

  • Bufê. Quem tem família grande sabe que, mesmo com uma mesa enorme, na maioria dos casos fica apertado para acomodar pratos, comidas, bebidas e copos no mesmo lugar. Aí, ajuda bastante um bufê, diz Gisele Leal. 
    “Muitos casais jovens que acabaram de ganhar várias coisas não conseguem guardar tudo nos armários. Um bufê ajuda demais”.
    A especialista conta que as peças mais procuradas são as com mais divisões internas. Então, a dica é pensar o que será preciso guardar naquele móvel.
  • Carrinho-bar. Em casos em que há ainda mais espaço, ele não substitui o bufê, mas apoia as bebidas e dá charme extra à sala. Gisele ainda indica mesas laterais, que podem dar o mesmo auxílio caso haja lugar fixo para o móvel.
Tudo sobre: