EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

9 de Agosto de 2020

Recupere seu cabelo mesmo em casa

Ele era bonito e bem tratado até que veio a pandemia de covid-19 e trouxe queda, oleosidade, centímetros de raiz branca... Veja o que fazer para driblar isso logo

O meme “Saudade de pintar o cabelo no salão, né, milha filha?” expressa a vontade de muitas mulheres que nunca ficaram tanto tempo sem colorir as madeixas com profissionais. Mas o momento é de manter a saúde do couro cabeludo, pois é lá que esse cabelo está sendo “fabricado”. “Se estiver irritado, inflamado, descamativo, oleoso, os fios, com certeza, não virão saudáveis”, afirma Adriana Teixeira, fisioterapeuta e tricologista, mestre em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Muitas pacientes dessa expert estão se queixando de problemas capilares surgidos ou intensificados nos últimos meses. “O estresse da pandemia, com a consequente liberação do hormônio cortisol, pode deflagrar uma queda que chamamos de eflúvio telógeno, entre outros problemas”, diz ela,que é docente no Ensino Superior nas áreas de saúde, beleza e bem-estar e diretora da Leduco Clínica e Escola, voltada à fisioterapia, estética e terapia capilar.

Hábitos desregulados durante a quarentena também fazem estragos. A alimentação e o sono podem ficar prejudicados devido à pandemia, além de experimentarmos um turbilhão de emoções. Mas é preciso reagir, pois essas mudanças na rotina facilitam a queda capilar, a caspa e o surgimento precoce de fios brancos, de acordo com a médica dermatologista e tricologista Kédima Nassif.

Fechar boca e olhos
Para que o cabelo cresça forte e bonito, a médica recomenda “evitar o consumo de açúcar, carboidratos refinados e alimentos de alto índice glicêmico, que, além de favorecerem a inflamação do organismo e a dermatite seborreica, causam a liberação de hormônios que inibem a divisão de células nas raízes dos fios, contribuindo assim para o afinamento capilar”.

No lugar, invista em uma dieta rica em proteínas, como leite, ovos e carne, e antioxidantes naturais, presentes nas frutas e verduras. Uma ótima opção, segundo a médica, é o espinafre, “que possui altos níveis de ferro, mineral crucial à formação do cabelo e ao transporte do oxigênio no sangue para as raízes. Já os peixes são fontes de proteína, ferro, vitamina B12, ômega 3, cálcio e fósforo, micronutrientes que estimulam a formação de cabelos fortes e saudáveis”.

Kédima ressalta ser importante buscar avaliação médica (mesmo que por atendimento on-line) nestas três situações: “se o número de fios que estiver caindo for maior do que 100; se o volume capilar diminuir acentuadamente, ou se começarem a surgir falhas”. Além disso, vale investir em cuidados pró-redução do estresse, como meditar e praticar uma atividade prazerosa.

De quebra, tudo isso vai colaborar com a qualidade do sono. Segundo a dermatologista, quando dormimos mal, o nosso organismo sofre com alterações hormonais que estão relacionadas à piora da queda de cabelo e ao surgimento de lesões inflamatórias, como caspa. A falta de sono prejudica o sistema imunológico. Logo, o couro cabeludo torna-se alvo mais fácil de complicações sebáceas. 

Lave corretamente
A quarentena pode ser um bom momento para aprender a lavar bem o cabelo, caprichar no condicionamento e, se possível, aplicar depois uma máscara até mais do que uma vez por semana. Adriana avisa: “Muita gente passa o xampu, que é um adstringente, muito mais nos fios do que no couro cabeludo, sendo que deve ser o oposto. Sugiro colocar na mão o equivalente a uma moeda de R$ 1, distribuir na nuca, atrás da orelha, no topo da cabeça etc. e massagear suavemente por alguns segundos a um minuto. Depois, enxaguar”. 

A espuma desse produto vai cair sobre o cabelo, retirando a sujidade sem ressecar os fios. “Dessa forma, haverá um equilíbrio da oleosidade no todo. Quanto à frequência da lavagem, quem tem cabelo muito oleoso deve lavar uma vez por dia. Já se for seco ou normal, dia sim, dia não. Espaçamento maior dificulta um crescimento saudável. E quanto mais longo, maior a necessidade de condicionar – somente nos fios, mecha por mecha, do sentido da cabeça para as pontas, sem atritar com as mãos. Depois, enxágue conforme a orientação do fabricante”, diz a professora.

Adote uma máscara
O hairdresser e make up artist Marcelo Battaglia recomenda usar uma com óleos vegetais, por serem aliados da hidratação sem deixar o cabelo pesado: “Aplique essa máscara após tirar o excesso de umidade da lavagem com a toalha, cubra com uma touca plástica e continue o banho. O próprio vapor do chuveiro vai potencializar a ação do produto”. 

Outra dica é utilizar uma máscara hidratante natural de abacate. Basta amassá-lo bem e misturar com duas colheres (chá) de mel. Aplique no comprimento dos fios, deixe por 20 minutos e aí enxágue. 

Assim que der para ir ao salão
Pesquisa com 660 mulheres das classes A+, A e B, conduzida pela SKS CX Customer Experience antes da reabertura do comércio, apontou uma maior ansiedade de voltar a frequentar salões de beleza (60%) do que restaurantes e afins (17%). O cabeleireiro e maquiador Kiko Delima, que já penteou uma infinidade de artistas e noivas, recomenda ter muita calma nessa hora. E lembra haver um lado positivo nessa espera: o cabelo “respirou” por uns 100 dias. 

“Com a reabertura dos salões, vão pipocar ofertas, descontos, presentes, mas o ideal é procurar o seu cabeleireiro de confiança para uma avaliação. Possivelmente, você terá vários procedimentos a realizar, e aquele profissional que já conhecia seu cabelo antes 
da quarentena saberá o que fazer (e em qual sequência) para ir resgatando o melhor dele sem cometer loucuras”, finaliza Delima. 

 

Tudo sobre: