Luccas Neto sem filtros: ele conta como construiu império focado no público infantil

Maior influenciador infantil do País, Luccas está de olho no mercado internacional. O também ator fala ainda do irmão, Felipe Neto, e das polêmicas que já encarou

Com 31 milhões de seguidores, o Luccas Toon é o terceiro maior canal do YouTube no Brasil e o coração do império focado no público infantil que Luccas Neto vem construindo desde meados de 2016.

Além da Luccas Neto Studios - complexo de 2 mil m² no Rio, onde estão concentrados todos os negócios do ator e empreendedor -, ele coleciona outros números expressivos: já publicou nove livros infantis, que venderam 2 milhões de exemplares - inclusive, As Aventuras na Netoland com Luccas Neto é a obra mais vendida da história da Bienal do Rio, batendo até Harry Potter -; comandou, agora na pandemia, a maior live infantil do País, para mais de 300 mil pessoas; tem seis filmes e quatro álbuns, com cerca de 60 músicas, nas plataformas de streaming; já lançou mais de 100 produtos licenciados e se prepara para colocar no mercado outros 100 - o boneco do Luccas Neto foi o brinquedo mais vendido do Brasil no Dia das Crianças do ano passado -; criou 39 personagens; já fez mais de 120 shows, percorrendo mais de 100 cidades e tem outros quatro canais no YouTube, entre eles um com conteúdos em Libras e o Luccas Life, que mostra como o influenciador é no dia a dia.

Quer mais? Os vídeos do carioca de 28 anos contam com 12 bilhões de visualizações - a média mensal fica em torno de 450 milhões de views no YouTube. Mas tudo isso só aconteceu após a reformulação do Lucas Toon, pois em 2015, ou seja, um ano antes de ele ser lançado, o ator e empreendedor tinha no YouTube o canal Hater Sincero, que rendeu uma série de críticas e até uma condenação judicial.

Na entrevista, Luccas fala ainda dos planos para conquistar o mercado internacional, do desenvolvimento da sua própria plataforma de streaming, do seu primeiro filme que vai passar no cinema, da relação com o irmão, Felipe Neto, dos investimentos em imóveis e da acusação de pedofilia feita pela apresentadora Antonia Fontenelle. 

REPOSICIONAMENTO

Você abriu recentemente a Luccas Neto Studios, para cuidar de todos os seus conteúdos e produtos. O que esse complexo inclui?
Há dois anos, quando me dei conta da enorme influência que tinha sobre as crianças, pensei: "Vou ter que mudar tudo". Então, comecei um trabalho intenso de reposicionamento do que faço, pois criar conteúdos para crianças é uma enorme responsabilidade. Montei uma equipe multidisciplinar e trabalho com a orientação de pedagogos. Eu queria criar personagens, histórias, fazer algo que ninguém fazia, com um nível de qualidade audiovisual que pudesse ser usado em qualquer outra mídia.

Todo o processo foi muito importante. Como parte disso, investi em um estúdio próprio, com 2 mil m², distribuídos em dois prédios do Rio de Janeiro. Atualmente, trabalho com mais de 50 produtos licenciados, shows, desenvolvimento de aplicativos e marcas próprias, como Os Aventureiros e Príncipe Lu. Mais uma produtora de vídeo para internet e para serviços on demand. E esse é um grande diferencial, todo conteúdo que fazemos é 100% autoral, nosso acervo de músicas, episódios inéditos e filmes é gigantesco.

Realmente está trabalhando em uma plataforma própria de vídeos? 
Estou! Iremos lançar uma plataforma exclusiva de entretenimento e vídeo, ainda sem data definida, devido à pandemia da covid-19. O app terá diversas experiências para as crianças, além de abrigar todos os conteúdos que já produzi.

Seus longas geralmente passam em streaming. Os Aventureiros - A Origem será o primeiro que vai para o cinema? 
Sim. Esse é um momento muito especial para mim e para todo o meu time: poder levar as nossas produções para as telas de cinema do País inteiro. Sentia uma carência de produções nacionais para o público infantil.

Os Aventureiros - A Origem terá os personagens já conhecidos do público mirim numa jornada inédita e cheia de mistérios a serem revelados. Essa produção é um marco no setor audiovisual, uma parceria entre a Luccas Neto Studios, a Warner Bros Pictures, o Telecine e a Formata Produções.

Além de protagonizar a trama, também assino o roteiro, com o Leandro Muniz (Um Tio Quase Perfeito e Meu Passado Me Condena 2). A direção é do André Pellenz (Minha Mãe É Uma Peça e D.P.A. – O Filme).  Ainda não temos previsão de lançamento do filme. 

Faz questão de se envolver em todas as etapas de produção dos seus conteúdos? 
Eu gosto muito de criar. Tenho várias ideias, minha cabeça não para. Participo da criação de personagens, roteiros, licenciamentos… Por mais que possua equipes em diversas áreas, é prazeroso demais estar envolvido para valer nos meus projetos. 

NEGÓCIOS Sempre teve perfil empreendedor? 
Sempre. Por exemplo: como uma forma de ganhar dinheiro, jogava cartas Pokémon. Eu as ganhava e depois vendia. Até hoje tenho diversas cartas guardadas. Fiz muitas tentativas até acertar, foi todo um processo chegar até aqui.

Certa vez, cheguei a trabalhar vendendo pipoca no evento Disney On Ice para poder ver o Mickey de perto e assistir ao show, já que não tinha dinheiro para comprar o ingresso. Porém, como vendia a pipoca nos intervalos e na hora do espetáculo tinha de ficar aguardando em uma sala, acabei não conseguindo assistir a nada. Hoje, faço questão de comprar meu ingresso para lembrar de toda a minha trajetória.  

De um tempo para cá, você anda investindo em imóveis. O que foi fundamental para fazer isso? 
Sou movido a sonhos. Tudo foi conquistado com muito esforço. Eu cresci em um local muito perigoso (o bairro do Méier, no Rio) e sempre foi meu sonho levar minha família para um lugar mais seguro. A casa em Orlando (EUA), que eu comprei no ano passado, foi uma conquista pessoal. Costumo aproveitar grandes oportunidades e valores bem abaixo do mercado para comprar imóveis e investir nessa área.

REFERÊNCIA > É verdade que se inspira em Walt Disney? 
Sempre fui um apaixonado pelo mundo encantado da Disney, desde pequeno. Estudo bastante sobre a trajetória de Walt Disney e o seu legado, já fui oito vezes para a Disney. Eu sempre tive o sonho de criar personagens, contar histórias e proporcionar para as crianças um mundo de magia e fantasia.  

Pretende investir no mercado internacional? 
Temos diversos inscritos do canal Luccas Toon no exterior, principalmente em Portugal e em Angola. Fico muito feliz e agradecido por essa repercussão. Já estamos trabalhando no planejamento para expandir a marca para o exterior, incluindo a apresentação de shows internacionais. 

LIGAÇÃO > O que é mais bacana no contato com os fãs? 
A relação com o meu público é maravilhosa, tanto com as crianças quanto com os pais e avós. Tenho bastante apoio das famílias, que conhecem o nosso trabalho e sabem como prezamos pelo respeito, pelos sonhos e pelo amor em nossas histórias.

As crianças se identificam bastante com os personagens, isso me deixa muito feliz, pois percebo que estou no caminho certo. O show é o nosso grande encontro, é um dos momentos que mais me dá prazer. Faço questão de tirar foto com todas as crianças no fim da apresentação. São três horas de fotos por show, em média, e eu normalmente tenho quatro shows por fim de semana. Assim que for possível, por conta da pandemia, voltarei a percorrer o País com os meus espetáculos. 

Alguma história com o público o marcou?
Tenho várias histórias que me sensibilizaram, mas uma das mais marcantes foi a da pinha. Pelo menos, foi a passagem da minha vida que mais me fez tomar força e coragem para seguir com os meus sonhos e alcançar o meu propósito.

A história é a seguinte: uma menina e um menino dividiam um quarto enquanto lutavam contra o câncer, mas apenas a garota conseguiu resistir. Em uma caminhada com a mãe, ela achou uma pinha no parque e sentiu que seu amiguinho estava ali representado. Tempos depois, na primeira oportunidade que tivemos de nos encontrar, após um show meu, a menina me deu esse objeto, para que eu fosse o guardião daquela infância, daquela luz. Imaginem como isso me tocou. Foi ali que caiu a ficha de que eu precisava - além de querer muito - continuar alegrando os dias e as vidas das crianças.

E o que os pais e educadores costumam falar para você? 
Recebo diversas mensagens carinhosas e de apoio. Mas continuo sendo alvo de algumas críticas. Procuro filtrar tudo e aproveitar o que posso para melhorar. Acredito que muita gente ainda não conhece o trabalho que faço atualmente, que não tem nada a ver com a forma como eu comecei. Aprendi bastante.

Conto com o suporte de uma equipe multidisciplinar, com uma curadoria de conteúdo. Acho que o entretenimento precisa caminhar junto com mensagens positivas, ensinamentos e sonho. 

POLÊMICAS > Hoje, quando olha para trás, qual é o balanço que faz do seu primeiro canal do YouTube, o Hater Sincero? Por causa dele, foi condenado a pagar R$ 40 mil à família de uma adolescente de 14 anos, por colocar um apelido ofensivo na garota. Você chegou a atribuir esse seu comportamento a uma depressão.  
Quando comecei na internet, eu fazia apenas entretenimento, sem um objetivo definido. Hoje, me comunicando com as crianças, para poder realizar um trabalho bem feito, o entretenimento precisa vir acompanhado de seriedade, mensagens positivas e responsabilidade.

Você também foi criticado por, no início, ter postado vídeos com uma pegada consumista e com apelo à comilança.
Essas críticas foram válidas, fundamentais para eu acertar. É muito importante o diálogo. Já deletei mais de 4 bilhões de views do meu canal. No início, eu não tinha um planejamento, fui testando as coisas. Após mudar tudo, bati recordes, por exemplo, com os nove livros em parceria com a editora Ediouro, que já venderam 2 milhões de cópias. Só o As Aventuras na Netoland com Luccas Neto conquistou o título de obra mais vendida na história da Bienal do Rio, batendo Harry Potter. Isso eu nunca imaginei! É fundamental acreditar nos seus sonhos e é preciso empenho para conquistá-los.

ORIGENS 
Quais são as principais semelhanças e diferenças entre o Luccas das plataformas digitais e o Luccas off-line, da vida real? 

No canal Luccas Toon, eu criei o personagem Luccas, que é um menino brincalhão. Já no meu novo canal do YouTube, o Luccas Life, sou eu mesmo, sem nenhum personagem por trás. Acho importante esse diálogo com os pais; era uma ideia antiga ter esse canal. É muito enriquecedora a troca que já tenho com eles no Instagram.

Agora, com o isolamento social, tive o tempo para tirar o projeto do Luccas Life do papel. A proposta é mostrar  o caminho percorrido até a criação da Luccas Neto Studios, além de abordar temas como família e educação, com bate-papos com especialistas na área infantil, como pedagogos e psicólogos. Também vou compartilhar histórias motivacionais de sucesso, com o objetivo de inspirar as pessoas a não desistirem de seus sonhos.

Com que trabalhou antes de ser influenciador? 
Cursei a faculdade de Publicidade por um período, e sempre fui de correr muito atrás das coisas. Na infância, montei uma barraca de doces na porta de casa. Com 18 anos, trabalhei em uma loja de calçados, no Shopping Nova América, no Rio. Me destaquei entre os funcionários e, a partir daí, foi um pulo para me tornar gerente. Também fui funcionário de concessionária e vitrinista. 

FAMÍLIA Teve receio de deixar de trabalhar na equipe do seu irmão, o Felipe Neto, para se tornar influenciador? 
Meu irmão sempre foi meu maior ídolo; com certeza, ele foi fundamental para eu me tornar um influenciador. Mas segui o caminho do entretenimento, do lúdico, do infantil e estruturei uma empresa com foco nisso e em outras vertentes do segmento.

Você já fez uma música para homenagear o Felipe. O que é mais bacana na relação de vocês? 
O Felipe é uma das pessoas mais importantes da minha vida, tenho uma admiração enorme por ele. Nossa relação é ótima; conversamos bastante, inclusive sobre os nossos projetos. Apesar de termos objetivos bem diferentes, existe uma troca. Meu foco no momento segue sendo o público infantil, ao criar filmes, livros, séries, produtos licenciados, músicas próprias e shows. 

Pensa em se mudar da Netoland (mansão que divide com o irmão)? 
Eu e o Felipe estamos sempre próximos e continuo morando na Netoland. Fiz algumas mudanças no meu quarto e no escritório que possuo na casa. A tendência natural, no entanto, é que a gente more em lugares separados no futuro.  

A Antonia Fontenelle acusou você e o Felipe de pedofilia. Como encarou isso? 
Essas mentiras passaram de todos os limites possíveis e aceitáveis. Nesse caso, preferi gravar um vídeo na minha IGTV, para me manifestar a respeito.

LAZER Com tantas atividades, consegue ter tempo para descansar? 
Eu trabalho cerca de 13 horas por dia! Mas curto muito passar tempo com a minha família e com a Jessie, minha namorada. Também gosto bastante de ver desenhos, filmes e mergulhar no universo geek.

Tudo sobre: