Guia fotográfico ajuda a identificar aves da Baixada Santista

Fotógrafo e biólogo Leonado Casadei acaba de lançar o primeiro 'Guia de Campo – Aves da Costa da Mata Atlântica', com espécies que podemos observar na nossa região

Olhe para cima. Bem-te-vis, sanhaçus e canarinhos. Tucanos, saíras e o exuberante tiê-sangue. A Araponga, a jacutinga e os gaviões. Papagaios, garças, biguás e os socós-dorminhocos.

Toda essa rica biodiversidade, todas essas aves, na verdade, centenas de espécies, estão aqui, ao nosso redor, nas praças, nos canais, praias, árvores e ruas da Baixada Santista – um número impressionante, que supera o de muitos países e até mesmo continentes.
 
Mas se temos tanta diversidade, por outro lado, o que nos faltava, até hoje, era um livro, um guia que facilitasse a observação e a contemplação daquilo que nos cerca e que, por vezes, não conseguimos perceber. Mas, agora, essa lacuna está finalmente preenchida.

O fotógrafo, educador e biólogo Leonado Casadei acaba de lançar o primeiro ‘Guia de Campo – Aves da Costa da Mata Atlântica’ (312 páginas), fruto de milhares de horas de paciente observação, que resultaram em um conjunto de fotografias de encher os olhos.

Com o guia, qualquer um de nós, seja da sacada de um apartamento, em uma praça ou ao longo do jardim da praia, pode não só observar e conhecer essas espécies, como, principalmente, contribuir com a sua preservação – além de praticar um hábito que hoje representa uma dos principais filões em termos de atração turística no mundo.

O guia oferece mais de 400 imagens das 270 principais espécies que podem ser encontradas, com um pequeno texto, português-inglês, das características de cada animal.“Para se ter uma ideia, nos Estados Unidos, o faturamento anual com a prática da observação de aves ultrapassa 100 bilhões por ano. Aqui no Brasil ainda estamos engatinhando, embora nos últimos anos o interesse pela prática esteja aumentando”, explica Casadei.

Por ser pequeno, no formato 10x18 centímetros, ele é de fácil manuseio para identificação em campo, oferecendo ainda detalhes e curiosidades da biologia das espécies, 40 delas endêmicas (não encontradas em nenhum outro local do mundo), como a bela saíra-sete-cores ou o tiê-sangue, símbolo da Mata Atlântica e “considerado um dos mais belos pássaros do mundo, muito abundante em nossa região”.

Mas há também os ameaçados de extinção e, no livro, estão pelo menos 14 espécies nessa condição, como o macuco, a araponga, a jacutinga, o tucano-de-bico-preto, a saíra-sapucaia, o gavião-pombo-pequeno e o papagaio-de-cara-roxa. 

“O desmatamento e o tráfico de animais são as principais causas do declínio populacional dessas aves nos últimos anos”, explica o autor.
Por todo esse contexto, o ‘Guia de Campo – Aves da Costa da Mata Atlântica’ é também um documento. Ele nos mostra aquilo que nos cerca, nos motiva a conhecer mais esse patrimônio e nos leva, por que não, a lutar pela preservação e conservação das nossas áreas verdes, sinônimas de qualidade de vida.  

“Para mim, cada foto, cada espécie clicada, cada uma das imagens desse livro tem uma história especial. É uma alegria imensa dividir essas imagens com todos. Que a sementinha da observação e da preservação da natureza possa se espalhar por meio das aves, trazendo liberdade, consciência e esperança de dias melhores”, diz Leonardo Casadei.
 


 

PARA ADQUIRIR
O livro ‘Guia de Campo – Aves da Costa da Mata Atlântica’ está sendo vendido pela internet. Para adquirir, pelo Instagram (leonardocasadei_aves) ou pelo facebook (leonardocasadei.aves). O livro é comercializado por R$ 40,00 e não tem frete para a região.

Tudo sobre: