EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

9 de Agosto de 2020

Entre na onda do 'faça você mesmo'

Mudar a casa, pintar parede, cuidar das plantas e outras atividades do tipo viraram uma terapia na quarentena

O tempo ocioso tem entediado muita gente, mas, ao mesmo tempo, encorajado boa parte dessas pessoas. Prova é que no Google Trends – plataforma que contabiliza as pesquisas realizadas no buscador – a procura pelo termo “faça você mesmo” quase dobrou neste ano no Brasil. E a consulta mais recorrente nesse sentido foi “faça você mesmo decoração”. Assim, fica fácil concluir que não é pouca gente que tem arregaçado as mangas durante o isolamento.

Diversos influenciadores digitais perceberam esse movimento e entraram na onda de ensinar ou mostrar mudanças que estavam fazendo em suas casas. A mais comum é a de pintar uma parede ou teto, para alterar a cara de um cômodo. Pinturas geométricas, que imitam cimento queimado ou as em faixas também são facilmente encontradas, como tem promovido o digital influencer Matheus Ilt, dono do bordão “senta que lá vem reforma”, seguido por 302 mil pessoas.

Essa onda também é facilmente encontrada pela sigla inglesa DIY, de Do It Yourself. Buscando por ela se vê gente até montando pequenos móveis, inclusive, para acomodar plantas de um novo jardim criado. 

Cesar Messano, da Black+Decker, diz que é possível encomendar cortes de madeira e montar uma estrutura em casa, mesmo sem ter muita habilidade nisso. 

Arregace as mangas
Aliás, mini-hortas e jardins internos também foram temas bastante buscados ultimamente. Até pela influência da tendência urban jungle ou selva urbana, que consiste em inserir o verde das plantas nas construções e imóveis.

Está certo que há no mercado várias estantes específicas para montar jardins ou organizar vasos. Mas muita gente tem preferido soltar a imaginação, com as próprias criações para a hortinha. 

Há tantas pessoas querendo aprender a lidar com elas que Samira David, arquiteta e paisagista da Villa Eco, conta que cada vez mais gente a tem procurado pedindo dicas. “E não é algo difícil. Não precisa nem ter jardim completo. Se você coloca na casa alguns vasinhos ou, às vezes, possui um palete que dá para prender numa parede, já transforma o ambiente e consegue fazer de um espaço sem nada uma estante ou quadro verde, bastante na moda agora”, conta.

Entre opções simples que envolvem montagens de móveis, um jardim em escada diminui o espaço necessário para acomodar plantas, “além de ser extremamente funcional e decorativo”, diz Borges.

No sol ou na sombra
Aos adeptos do verde, há mais dicas. Tayana Kruger, arquiteta, indica saber onde as plantas ficarão antes de tirá-las do supermercado.

“Existem espécies que se dão bem dentro de casa, com a luz natural apenas de uma janela próxima, e as que necessitam de mais sol. Pode ser no quarto, sala, cozinha, varanda. Em banheiro não recomendo suculenta, mas samambaia ou orquídea, sim. Em varandas, cactos”, diz Tayana. 

Segundo Samira, dentro de casa, as opções mais comuns e preferidas são heras, samambaias e jiboias.

Já as que gostam de muito sol são hortelã, espada-de-são-jorge, costela-de-adão e cactos grandes.

Temperos vivos
Quem sonha em ter uma mini-horta na cozinha consegue encontrar no mercado até vasos com os nomes de cada espécie. Senão, é possível fazer em potinhos com pequenos furos embaixo o ambiente perfeito para plantar, decorando de acordo com a sua habilidade.

Na falta de costume com artes manuais, cestos de vime estão super na moda no papel de vaso. 

A atenção especial a cada tempero é na rega. Cada planta exige um cuidado diferente, inclusive quando todas são criadas no mesmo ambiente. Pedem mais água hortelã e manjericão. A rega é moderada para salsinha, alecrim, orégano e cebolinha. Já o tomilho precisa de pouca água, ensina Samira.

Tudo sobre: