Confira maneiras de camuflar seu ar-condicionado

Está na moda fazer com que as máquinas condensadora e evaporadora "desapareçam" dos ambientes. Mas, obras mal pensadas podem danificar os aparelhos. Veja dicas para não errar

Não precisa mais revirar os olhos toda vez que sair na varanda de casa ou do apartamento e dar de cara com a máquina condensadora (unidade externa) do ar-condicionado. Está cada vez mais comum camuflar esta peça nada decorativa, mas necessária.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Além de proteger o maquinário, um projeto de arquitetura ou design personalizado torna o ambiente mais harmônico. E quem aproveitou a primavera para iniciar a rotina de manutenção no ar-condicionado, consegue ter tudo pronto no verão.

De cordo com a arquiteta Tayana Kruger, o incômodo com essa máquina surgiu há uns dez anos, quando a varanda gourmet se consolidou. Isso porque, antes era na varanda que se deixavam as máquinas quando não havia espaço específico. 

“As pessoas começaram a usar a varanda gourmet como extensão da área de estar. É tudo integrado”. 

A profissional explica que em imóveis de menor custo, as construtoras começaram a entregar nos últimos cinco anos, a área técnica (dos climatizadores) ligada à de serviço ou próxima dos quartos. 

“Facilita a manutençãoe é mais perto de onde o aparelho precisaria ficar. Aí, a infraestrutura fica mais barata”. Com as máquinas mais próximas dos nossos olhos, proprietários começaram a exigir soluções mais criativas para esconder aparelhos. Porém, além do gosto, antes de definir como fazer é preciso levar em conta detalhes que podem fazer a diferença a médio e longo prazo. Veja as dicas de especialistas. 

Há empresas que fazem a camuflagem da máquina condensadora com fios de fibra sintética, de vidro junto ao envidraçamento da sacada, de madeira, atrás de jardins permanentes ou, no caso da máquina evaporadora, até usando envelopamento ou pintura, fazendo o aparelho “sumir” na parede. Seja qual for a escolha é bom pensar em cada caso, qual facilitará mais a manutenção. Senão, o investimento irá par ao lixo em pouco tempo. 

Dimensionamento
A arquiteta Amanda Ramirez conta que, geralmente, a construtora já deixa a infraestrutura de saída da tubulação para os aparelhos direcionada ao local que tem que ficar. “Então, uma das preocupações é ver a posição que o prédio aceita essas máquinas. A maioria está deixando usar posição vertical. Depois é hora de se atentar à direção das saídas da ventilação da evaporadora. Não adianta por um fechamento e isolar as máquinas. 

O espaço mínimo sugerido pela fabricante ou técnico precisa ser respeitado, para o aparelho fazer a troca do ar quente pelo frio”. 

Também é importante levar em conta quantos e quais aparelhos o lar vai precisar, diz Tayana. 

“Gosto muito dos modelos em que uma condensadora maior suporta dois ou três evaporadores. Mas tem apartamentos com áreas técnicas tão pequenas que só modelos individuais cabem. Tem que ter cuidado antes de começar”. 

Material
Quem gosta do visual amadeirado pode abusar da moda dos ripados. Além do charme, pouca gente vai perceber a real utilidade do mobiliário. Mas, se o espaço for pequeno, o ar quente da máquina pode incomodar. Estão entre as madeiras que suportam trocas de temperatura a peroba rosa, o freijó, o cumaru e o compensado naval.

Para interiores a dica é válida também. No projeto das arquitetas Amanda Castro e Giovana Giosa, do escritório Studio AG, foi feito o painel em folha de freijó, formando um pórtico de entrada, unificando a parede principal do apartamento e integrando as salas de jantar com a de estar, escondendo uma evaporadora. Empresas que trabalham com envidraçamento de sacada costumam colocar móveis que parecem mesas e escondem máquinas. O cuidado é para que não haja fechamento total. 

Do lado de fora, para onde ficarão viradas as máquinas, é preciso espaço livre. 
Em modelos de condensadores nos quais o ar quente sai por cima, há necessidade de se comprar peça de encaixe que redireciona a saída de vento. Caso contrário, um choque térmico pode estourar o vidro. 

Aos amantes do paisagismo, a escolha de plantas permanentes (artificiais) também são alternativa para camuflar as máquinas. Só é preciso atenção com as paredes verdes preservadas, pois plantas naturais que recebem tratamento químico não costumam suportar bem o calor. Ficam amareladas.

Para quem está mais preocupado com a evaporadora, do lado de dentro da casa, há opção de envelopamento ou pintura feita por assistências técnicas autorizadas. É importante checar se isso não fará se perder a garantia do aparelho.

Tudo sobre: