EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

4 de Abril de 2020

Como escolher uma coifa; veja dicas e como calcular a ideal

Entre as principais diferenças estão a função depurador ou exaustor, além do poder de sucção, que precisa ser calculado de acordo com o tamanho da cozinha

Prontas ou sob medida, como nesse caso da SBC Coifas, aparelhos filtram o ar do ambiente (Divulgação)

Coifa, depurador e exaustor. Atire a primeira pedra quem nunca se confundiu com a função de cada um desses aparelhos. O pior é que o desconhecimento, muitas vezes, faz as pessoas comprarem o menos eficiente para o próprio lar. Não é só o design que conta. Função, possibilidade de obras em casa e metragem da área de instalação são três pontos importantíssimos na hora de decidir o que pôr na cozinha. Há dois pontos importantes: entender o que é cada máquina e os diferentes modelos. 

Tipos

Coifa é o aparelho que enxergamos na cozinha. Ele pode ter a função de exaustão ou de depuração do ar. Dependendo da peça, chega a eliminar até 90% dos odores, fumaça e gordura produzidos no ambiente. Para isso, também é importante que seu poder de sucção seja adequado ao espaço e que a coifa esteja corretamente instalada. 

Também é imprescindível saber que existem diferentes modelos para as coifas. São elas: a coifa de parede, a de ilha e a de embutir. 

A coifa de parede é instalada em cima do fogão, churrasqueira ou cooktop, encostada numa parede. Ela nunca serve para ficar numa cozinha de modelo ilha, por exemplo, pois seu poder de sucção é prejudicado. 

O modelo ilha, como o próprio nome já diz, é para espaços em que o cozinhar ocorre num balcão central, em estilo americano. Tendência no Brasil, o modelo é o que cria maior protagonismo às coifas, dando destaque ao design. 

Já as de embutir, como o próprio nome já diz, tem o efeito inverso: desligadas, dificilmente alguém as percebe. São para moradores que as querem fora da decoração. E mesmo dentro de móveis, elas costumam não ocupar todo o espaço interno, dando dupla função ao mobiliário. 

Depurador x Exaustor 

A coifa sempre serve para sugar os vapores e a gordura do ambiente para eliminar odores. Mas, o depurador retém, filtra e devolve o ar ao mesmo ambiente enquanto os exaustores levam tudo para fora. 

Assim, parece óbvio que a melhor opção seja sempre pelo exaustor. Mas, nem todo mundo pode furar parede ou teto para instalar uma tubulação com no máximo dois metros e até duas curvas, para que a fumaça seja levada para fora de casa. Se isso for possível, se aumenta a capacidade de funcionamento. 

Muitas coifas têm as duas funções. Nesse caso, é a instalação que define se o equipamento será usado como exaustor ou depurador, explica Felipe P. Lazzari, diretor da Tramontina: “Quando a coifa está instalada no modo exaustor, não deve ser utilizado o filtro de carvão ativado. Ele só é utilizado no modo depurador”. 

Poder de sucção

Assim como os aparelhos de ar-condicionado, para funcionar bem, uma coifa precisa ter a capacidade calculada de acordo com o tamanho de cada ambiente. 

No Brasil não existem normas que regulamentam a declaração da vazão de coifas. Por isso, cada fabricante determina como fazer o cálculo correto. A Tramontina, por exemplo, explica que uma coifa bem equilibrada oferece vazão suficiente para trocar o ar da cozinha 12 vezes por hora. Na conta, se multiplica largura, profundidade e altura da cozinha por 12. O resultado, em metros cúbicos, indica a capacidade de vazão mínima da coifa.

A informação está sempre nos manuais de instrução de cada marca. É preciso considerar em cozinhas americanas, por onde o vapor pode se espalhar.

Neste projeto da arquiteta Paola Cury, coifa Tramontina de parede foi a escolhida (Divulgação)
 

Mitos e verdades

Quando a capacidade do aparelho é ideal para o espaço, tanto faz se o morador opta por modelos com ou sem vidro. É que, como os vidros ocupam o espaço onde haveria mais filtros, há quem diga que modelos mais simples são melhores - mito. 

Porém, de nada adianta calcular o poder de sucção correto se altura de instalação e largura de aparelho não se adequarem ao fogão. Geralmente, no máximo, se coloca uma coifa entre 65 e 75 centímetros de altura do fogo e a largura do aparelho deve ultrapassar em cerca de dez centímetros, no mínimo, o fogão. A exceção é nos modelos de tubo.   

Há quem diga ainda que quanto mais ruído, mais sucção: mito. A verdade é que, quanto maior a velocidade, mais barulho. E quando a coifa é ligada cinco minutos antes  e desligada cinco minutos depois do cozimento, melhora o desempenho.

Personalizáveis 

Como é preciso fazer cálculos, pesquisar o poder sucção, acompanhar a instalação correta e saber o que de fato é preciso para cada ambiente, há empresas que trabalham com coifas sob medida, como explica Leonardo Pozzi, diretor da SBC Coifas e Projetos. Segundo ele, a dica é prever o equipamento sempre. 

“Uma pequena previsão na obra muda tudo.Se você instala depurador numa cozinha onde se frita sempre, não adianta. E marcas de produtos prontos preveem necessidades universais. Muita gente se arrepende”.

Outra dica do profissional é sobre troca de peças. “Se o cliente não pesquisa antes de comprar se terá peças para troca, precisa comprar outro aparelho quando dá problema. Por isso, sob medida, duram mais”.

Tudo sobre: