Chá de hibisco para cuidar da saúde e ajudar a emagrecer

Essa bebida à base de flor ganha destaque, mas tem algumas restrições. Anote receitas e dicas

Bruna Marquezine, Fernanda D'Avila, Fernanda Souza são algumas famosas que revelaram consumir chá de hibisco. Por vários motivos, como amenizar a retenção de líquido e sintomas da TPM; e também para emagrecer, especialmente afinando a cintura. Original da África e Ásia, a flor pode ser encontrada em várias regiões do país, principalmente no Nordeste. Na Europa, é item presente na maioria dos chás aromáticos.

Preparada com o cálice do botão seco da flor, chamada de Hibiscus sabdariffa, “a bebida conta com diversas substâncias antioxidantes, como os flavonoides, especialmente as antocianinas, que possuem efeitos cardioprotetor e vasodilatador. Por isso, pode ajudar a melhorar a imunidade e a saúde do coração, e a controlar o perfil lipídico, com efeito hepatoprotetor e de melhora na perfusão sanguínea (muito bem vindo aos praticantes de exercícios físicos, especialmente de endurance). Pode aliviar sintomas da menopausa, da cefaleia e da irritação que ocorrem no período pré-menstrual, devido à presença de isoflavonas”, explica Daniela Lasman, nutricionista da academia Bodytech Iguatemi SP.

Para Gabriella Mendes Lobato, economista, beber mais de dois litros de água diariamente nunca foi uma tarefa fácil. “Principalmente porque vivia caindo em tentações como refrigerantes, sucos de caixinha e outros. Porém, tudo isso só fazia me sentir inchada e com vontade de consumir besteiras. Em busca de algo saudável, descobri o mundo dos chás. E o de hibisco, para mim, é o melhor! É saboroso, dá mais energia e me ajuda muito na retenção de líquidos. Costumo bater com frutas (amora, morango e até laranja).”

Juliana Gabriel, médica endocrinologista da Faculdade São Leopoldo Mandic, reforça que o hibisco (Hibiscus Sabdariffa) é um arbusto cuja flor é muito conhecida para o preparo dos chás, só que várias partes da planta são estudadas por suas propriedades medicinais:

“Uma dessas propriedades é o efeito de reduzir a proliferação celular, motivo pelo qual vem sendo pesquisada como coadjuvante no tratamento de câncer. No entanto, esse efeito pode ser deletério para o feto em formação; por isso ele não é indicado na gestação e nem durante o aleitamento materno”.

Outro efeito estudado, de acordo com a médica, é o de reduzir a pressão arterial, podendo beneficiar portadores de hipertensão. “Porém, em indivíduos normais pode causar baixa de pressão. Em quantidades mais elevadas, pode interferir com alguns medicamentos (por exemplo, os para diabetes, paracetamol, cloroquina e outros usados para tratar hipertensão). Em altas concentrações (como as encontradas em cápsulas), pode causar dano ao fígado”, alerta dra. Juliana, tranquilizando que o consumo na forma de chá – em quantidades pequenas, de uma a duas xícaras por dia – é seguro para a maioria das pessoas.

Não é aconselhável a gestantes, lactantes e crianças menores que 2 anos. E deve buscar orientação médica quem utiliza algum medicamento controlado e está tomando esse chá; ou ainda quem opta pela planta na forma de suplementos e medicamentos, “pois a quantidade consumida será bem maior que a presente em um chá caseiro”, orienta a endocrinologista.

Mais leve na quarentena Não há evidências científicas que o consumo de chá de hibisco ajude no emagrecimento. “Mas a união de boa alimentação com bons hábitos e consumo adequado do chá pode contribuir nessa jornada, lembrando que a ação diurética dessa flor contribui para diminuir a retenção de líquido - e indiretamente o peso corporal. Estudos mostram que o flavonoide quercetina presente na bebida é um dos nutrientes que ajudam a proporcionar essa ação. Outras pesquisas citam que o chá de hibisco é capaz de inibir que células pré-adipócitas se convertam em adipócitos maduros. E quanto menos adipócitos, menos gordura corporal”, esclarece Daniela.

Dica da nutricionista: uma dose segura é de até 500 ml por dia; e é importante variar os tipos de chá, já que o consumo crônico de algumas ervas

pode levar a efeitos adversos que vão desde eliminação excessiva de sais minerais até alteração hormonal. “O ideal é consumir a bebida sem utilizar açúcar ou adoçante, pois, mesmo não somando calorias, o adoçante pode prejudicar o objetivo por causa de sua composição (pensando nos edulcorantes artificiais) e pelo fato do seu consumo, ao longo do dia, aumentar a absorção de carboidrato pelo organismo. Dê preferência à flor in natura para usufruir de todos os benefícios proporcionados pelo chá”.

Como fazer: coloque a água para ferver; quando começarem a aparecer as primeiras bolhas, desligue e acrescente uma colher (sopa) da erva. Deixe abafando por 10 minutos. Coe, e está pronto. Se preferir comprar o chá, que seja num local de confiança; e armazene em pote de vidro fechado, em local seco e arejado. Daniela faz suas últimas ressalvas:

“A pessoa que irá consumir não deve apresentar intolerância aos principais componentes da planta. E o consumo excessivo pela levar a grande eliminação de sais minerais pela urina, além de comprometer a fertilidade, conforme apontam alguns estudos. Mas quase todas as pesquisas foram conduzidas em ratos fêmeas. Nenhum estudo foi extrapolado para mulheres. Por isso, não há consenso. De qualquer forma, sempre sugiro não consumir o mesmo chá seguidamente por tempo prolongado (mais que uma semana). Varie com outras ervas”.

Receitas de primavera 

· Bala de gelatina de hibisco: 2 colheres (sopa) de hibisco, 450 ml de água fervente, 2 envelopes de gelatina em pó incolor hidratada e dissolvida, Stevia ou Eritritol para adoçar. Deixe o Hibisco na água fervente em infusão por cinco minutos; coe depois. Adicione a gelatina dissolvida ao chá e disponha em uma forma ou refratário retangular. Leve à geladeira por duas ou três horas, ou até endurecer, para cortar em quadradinhos.

· Suchá de hibisco com morangos: 209 ml de chá de hibisco pronto, três morangos picados em rodelas, suco de meio limão, adoçante Stevia ou Eritritol (opcional) e gelo. Misture os outros ingredientes no chá de hibisco e se delicie (gelado e, se desejar, com folhinhas de hortelã ou raspas de gengibre). Vale substituir os morangos por uvas sem sementes ou uma fatia fina de abacaxi em pedaços.

Tudo sobre: