EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

9 de Dezembro de 2019

Cada criança é única. E família também!

Então, é bom lembrar que uma determinada escola pode ser incrível para um filho, mas não necessariamente para o outro

Na hora de escolher a escola capaz de desenvolver o seu filho integralmente, é preciso lembrar que cada criança é diferente, única. Assim como cada família tem suas particularidades. Para Elaine Petito, diretora pedagógica da rede de ensino Novo Tempo, não é uma tarefa fácil, mas ela orienta que a escola esteja alinhada à visão que os pais têm de mundo, com valores e proposta pedagógica que façam sentido àquela família.

“É preciso ter clareza quanto às diferentes metodologias de ensino [sociointeracionista, construtivista, tradicional], evitando assim inseguranças ou questionamentos sobre trabalhos ou projetos que serão desenvolvidos. Acreditar na proposta é a chave do sucesso! Não adianta matricular numa escola construtivista e buscar respostas em uma concepção tradicional de educação”, exemplifica.

Os pais também precisam procurar conhecer melhor seu filho para uma escolha assertiva, levando em consideração que os aspectos socioemocionais estão envolvidos em qualquer opção. “O colégio ideal não apenas contempla o conhecimento. Ele forma crianças e jovens como cidadãos pensantes, críticos e prontos para a vida em sociedade”.

Maria Cleonice Cefaly Machado, diretora do Colégio São José, concorda que o primeiro passo é entender a metodologia e as principais linhas educacionais utilizadas pelas instituições: 

“Afinal, elas estarão diretamente relacionadas às experiências que esse estudante vivenciará no dia a dia”. E tem este detalhe: nem sempre a metodologia adequada a um filho será boa para o irmão ou para a irmã. “A questão central é analisar cada perfil, seja da criança, seja da família”, alerta Elaine, lembrando que, quanto mais velho o aluno for, maior será a sua capacidade de decidir o que deseja.

Cleonice levanta algumas reflexões: “Você já parou para pensar se a escola que seu filho frequenta tem a ver com o perfil dele? Será que o que você sonha para ele tem a ver com quem ele realmente é? Ou tem a ver com quem você gostaria que ele fosse? Pensando em quem você gostaria de ter sido, será que vem projetando esse desejo nele?”

A diretora do Colégio São José reitera que não existe escola perfeita, mas, sim, a melhor escolha para aquela família.

“Pois, quando não atende suas necessidades, pode gerar frustração e desconforto”, avisa. “É assim na vida; com a escola não seria diferente. Cada pessoa tem uma história particular e única, formada por sua estrutura biológica, psicológica, cultural e social. Ressalto ainda que a criança e o jovem devem se sentir à vontade e felizes nela”, completa.

Diante de tantas opções existentes, vale ainda saber se a instituição é apropriada ao ritmo de estudo e vida daquele aluno. “Alguns precisam de metodologias mais flexíveis, enquanto outros se desenvolvem mais em ambientes desafiadores e com ritmo mais acelerado”, comenta Cleonice.

Cláudia Gonçalves, orientadora educacional do Ensino Médio do Colégio Jean Piaget, destaca que as crianças de hoje são estimuladas desde o momento em que nascem e que é preciso ver como a família quer que as suas se desenvolvam: “Quando começam a escolher a primeira escola, há uma busca por cuidado, atenção, infraestrutura, com o aprendizado caminhando lado a lado com o lúdico. Tudo acompanhado de tecnologia para os filhos [com jogos que desenvolvam a linguagem e o raciocínio] e os pais [com aplicativos de mensagens e fácil acesso às informações]”.

Quando o aluno passa para o Ensino Fundamental, “é preciso que os pais acompanhem de perto o desenvolvimento do filho. As famílias são o termômetro do aprendizado. Precisam verificar se a escola está compatível com as próprias expectativas e se a criança demonstra interesse em aprender. Isso exige um olhar individualizado, tanto da família quanto da escola”, continua Cláudia, aconselhando aos pais buscarem aquela que reconheça as necessidades de cada aluno, que desenvolva nele suas habilidades e que o deixe seguro com o que aprende.

Angelita Almeida, coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental do Colégio Jean Piaget, resume:

“Vivemos na era da informática, num mundo sem fronteiras e que muda com imensa rapidez. O aluno atual, para se desenvolver integralmente, precisa de uma escola acolhedora, que tenha uma proposta pedagógica sólida e dinâmica, que faça uso de metodologias ativas e projetos interdisciplinares, capaz de contribuir para a sua formação como cidadão proativo, com pensamento flexível e humanista, crítico e preocupado com a sua comunidade e com o mundo”. Realmente não se trata de uma tarefa fácil.

Tudo sobre: