EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

14 de Agosto de 2020

Adestramento à distância é tendência, mas exige cuidado na contratação

Há prós e contras nas variadas formas de cursos. Especialistas orientam o que levar em conta na hora da escolha, para cada caso

É certo que o isolamento social, promovido desde março no Estado de São Paulo, aumentou o número de adoções de animais. Com isso, há novos tutores desesperados para conseguir ensinar o pet a, pelo menos, fazer xixi no lugar certo, alavancando um ramo na internet: de adestramento a distância. Seja com conteúdos gravados prontos ou chamadas de vídeo, o setor se adaptou, apesar de existirem prós e contras nessa modalidade de ensino.

A Le Pet, que atua com dog walker e adestramento, por exemplo, decidiu aplicar aulas via chamadas de WhatsApp. A ideia da empresa é fazer com que os tutores que estão em casa consigam acalmar os ânimos de seus bichinhos de estimação, com o auxílio de um profissional – seja para lições básicas ou mesmo para acalmar os pets empolgados demais pela presença de toda a família no lar. 

“Aproveitamos que muito dos nossos potenciais clientes estão em casa por um tempo maior e decidimos ensiná-los como melhorar a relação com o seu cão. O adestramento é uma forma de evitar que o animal fique parado e acumule energia, tornando a convivência mais fácil”, explica Leandro Guaglianone, desenvolvedor do projeto.

Na empresa, as aulas são personalizadas, de acordo com as necessidades de cada cachorro. “Ao longo de 40 minutos, vou entender o ‘problema’ da pessoa com seu cachorro e encontrar o melhor caminho para resolvê-lo, por meio de lições práticas, como comandos, atitudes e entonação de voz, sempre com a participação do Chucky, meu cão, que vai auxiliar na demonstração de como fazer aquilo”, diz Guaglianone, sobre as aulas bissemanais com direito a atendimento em domicílio.

Rapha Aleixo, adestrador e comportamentalista canino da Dog Lion, explica que oferece um programa mais longo, o Manual do Cão Completo, e as aulas em vídeo mais curtas (pockets), que resolvem problemas pontuais. “Porque, às vezes, a gente não tem o poder de convencimento para fazer a pessoa entender que não é só isso. Educar o cão depende de mais conteúdo. Porém, para quem está certo de que precisa resolver só um problema, temos as aulas com suporte técnico e de conteúdo”, conta ele, sobre os vídeos de diversos temas, que duram entre 60 e 90 minutos. 

Contraindicações
Segundo Aleixo, só não é indicado o curso de adestramento a distância para tutores de cães agressivos. 

“Tenho esses conteúdos à venda há mais de três anos. Já atendi mais de 1.600 alunos e conto com horas de depoimentos positivos”, observa.

Nelson Barbosa, adestrador e comportamentalista santista da Tudo de Cão, também diz que as aulas são viáveis para a maioria dos clientes. Mas é bom a pessoa levar em conta, na hora de contratar um pacote on-line, se vai conseguir colocar em ação tudo o que é ensinado. 

“Por exemplo, se o tutor tem baixa mobilidade e um cachorro grande, agressivo e forte, não é indicado que tente sozinho adestrar o pet, por risco de queda ou outros acidentes”, comenta ele, lembrando que, na empresa onde trabalha, não há vídeos prontos, mas pacotes com diferentes quantidades de aulas e atendimento personalizado.

“Até para podermos entender cada caso, fazemos uma chamada de vídeo, compartilhamos telas e realizamos uma análise de comportamento na primeira aula,
o que é gratuito. Nós vamos avaliar atitudes e necessidades”.

Lado positivo
Os profissionais ainda explicam que é importante, na hora de contratar esse serviço, saber que é preciso levar a sério tudo o que é ensinado, para que o treino dê resultado – e geralmente, dá. O resultado costuma ser um melhor aproveitamento do tempo em época de pandemia e pets mais obedientes em casa.

Outro destaque é que, nas aulas presenciais, era preciso conciliar um horário bom para o adestrador e para todos os familiares. Nos planos a distância, caso sejam gravado, mais gente pode aproveitar o conteúdo, acessando-o em diferentes períodos,como acontece em um serviço de streaming ou mesmo nas faculdades de ensino remoto. Também não é preciso esperar ou contratar novamente os serviços caso dúvidas surjam depois de um tempo. Basta rever os conteúdos. 

Já no caso das aulas personalizadas, os prós são identificar exatamente em que o tutor está errando e corrigir de maneira adequada cada detalhe, levando em conta ambiente, temperamento do animal e os comportamentos dele em diferentes momentos. Além de resolver melhor as queixas quando algo dá errado. 

Até pela diversidade dos trabalhos oferecidos, os cursos tendem a oscilar bastante de preço. Há opções a partir de R$ 69 até cerca de R$ 2 mil. 

Independentemente do valor, os adestradores indicam pesquisar antes a reputação da empresa, os resultados dos trabalhos não só mostrados por ela, mas pelos donos dos pets que foram atendidos. Se mesmo assim, algo der errado, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) garante o dinheiro de volta em caso de arrependimento na compra – ocorrido até sete dias depois do recebimento do conteúdo – para qualquer compra on-line.

Tudo sobre: