EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

18 de Novembro de 2019

Seminário Porto & Mar vai debater inovação

Evento reunirá autoridades, empresários e especialistas no setor nas próximas segunda (24) e terça-feira (25), em Santos

A automatização das operações no cais santista não é mais um tema para o futuro. O processo já é realidade em empresas que, nos últimos tempos, têm investido e se planejado para a nova realidade. Essa questão e outros projetos de inovação tecnológica serão abordados no Porto & Mar - Seminário A Tribuna para o Desenvolvimento do Porto de Santos, que acontecerá nas próximas segunda (24) e terça-feira (25), no Hotel Sheraton (Rua Guaiaó, 70, no bairro Aparecida), em Santos.

No evento, realizado pelo Grupo Tribuna, a questão será discutida no Painel 2, às 11 horas de terça-feira. Na segunda-feira, às 17 horas, ocorrerá a cerimônia de abertura, que terá a presença de diversas autoridades, inclusive do governador João Doria (PSDB). Os ingressos estão esgotados. 

Executivos da Brasil Terminal Portuário (BTP) e da Santos Brasil (operadora do Terminal de Contêineres, o Tecon), além do diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio Carvalho, e representantes das startups Paragon Decision Science e CargoSnap vão debater o tema. 

Os dois terminais desenvolvem ações neste campo. A Santos Brasil anunciou investimento de R$ 10 milhões em Tecnologia da Informação (TI) e R$ 40 milhões em outros serviços ligados ao setor. Diante dessas ações, o terminal pretende aumentar a eficiência operacional, energética, a velocidade e o fluxo da operação e espera ampliar em ao menos 20% sua capacidade de movimentação de contêineres. 

Apostando em novas ideias, a BTP realizou, em março deste ano, o primeiro hackathon (maratona de programação) do Porto de Santos. O BTP:Code, como foi batizado o evento, teve 110 inscritos entre estudantes, startups e empresas. Durante 30 horas corridas, 27 equipes trabalharam com o propósito de apresentar uma solução ao desafio lançado pela empresa – integrar as janelas de atracação dos navios, a chegada de caminhões e a escala dos profissionais do terminal. 

Apesar de ser uma competição, o objetivo de ações com o BTP:Code é fomentar novas ideias, atendendo demandas do setor portuário santista. 

Mão de obra

A automação do Porto de Santos vai gerar mudanças na demanda de mão de obra. Segundo especialistas, funções de esforço braçal e ações repetitivas deixarão de existir. Outras oportunidades, porém, vão surgir. Diante disso, a atualização e qualificação profissional é fundamental, ainda mais em áreas ligadas à tecnologia da informação.

Incubadora de startups 

O diretor-presidente da Codesp tem demonstrado interesse nesse formato de startups - empresas em fase inicial e que desenvolvem produtos ou serviços inovadores. Em entrevistas a A Tribuna, Casemiro Tércio disse que a Autoridade Portuária terá uma incubadora e aceleradora de startups para soluções portuárias. 

“Em vez de contratarmos um monte de estagiários, preferimos pegar a quantia de R$ 2 milhões, R$ 3 milhões que gastávamos por ano com esses colaboradores e investir o dinheiro em startups com propostas interessantes”, afirmou Tércio.

Tudo sobre: