EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Ter sonhos é essencial para envelhecer com qualidade de vida, diz especialista

A gerontóloga Denise Mazzaferro ressalta a importância de ter perspectiva de vida na terceira idade

Para o senso comum, envelhecer pode ser sinônimo de aposentadoria e descanso. Para a gerontóloga Denise Mazzaferro, a velhice carece de sonhos, perspectivas e novos objetivos de vida. A palestrante do segundo painel do ciclo Envelheça Leve, de A Tribuna, contou nesta terça-feira (15) sobre como chegar aos 100 anos com qualidade de vida.

No contexto atual, sabendo que é cada vez mais possível chegar aos 90 e 100 anos de idade, a forma como enxergamos os idosos precisa se atualizar conforme o novo estilo de vida dessas pessoas.

No bate papo com o público, o foco da especialista foi o processo de envelhecimento, a longevidade cada vez maior e a necessidade de projetar e planejar esse processo para uma vida mais saudável do ponto de vista intelectual, planos futuros e até profissionais.

Palestrante abordou longevidade e necessidade de planejamento (Foto: Marcela Ferreira/AT)

“Se a gente vai viver 90, 100 anos, como podemos pensar que vamos passar 30 anos descansando? É muito tempo, e as pessoas hoje chegam à terceira e quarta idade (após os 80) ainda cheias de energia”, diz Denise.

Sonhar para envelhecer bem

Nutrir sonhos e novos objetivos, portanto, é vital para que possamos chegar com mais saúde à melhor idade, segundo a palestrante. “Você imagina sua vida sem sonhos, enquanto pessoa nova? Então por que eles têm que abdicar disso? No fundo, o ser humano é movido a sonhos”, ressalta Denise Mazzaferro.

Para a gerontóloga, a questão da saúde e forma física, além da situação financeira podem ser impecilhos para que idosos possam realizar alguns de seus planos. Ainda assim, é preciso pensar em objetivos que possam ser adaptados para que haja perspectiva e ‘futuro desejante’, algo que dê sentido à vida, um motivo para acordar de manhã.

“Nosso maior desafio ao chegar nos 100 anos vai ser dar significado para todo esse tempo. A gente tem que entender que a vida vai mudar, você vai perder amigos e parentes. É preciso ressignificar para seguir em frente, isto é, formar outros ciclos, participar de coisas que você nunca fez, ir a lugares que você nunca foi”, finaliza.

Envelheça Leve

O bate papo com Denise Mazzaferro faz parte do novo ciclo de palestras promovido por A Tribuna, Envelheça Leve, que prevê quatro encontros até o final do ano. Denise é autora do livro ‘Longevidade - os desafios e as oportunidades de se reinventar’.

Ciclo de palestras acontece no auditório do Grupo Tribuna (Foto: Marcela Ferreira/AT)

Outros dois encontros já estão confirmados dentro do projeto Envelheça Leve. Um será no dia 7 de novembro, com o escritor, contista, romancista e colunista de A Tribuna Ignacio de Loyola Brandão. O foco de sua palestra, Envelhecer é não parar, será a criatividade no envelhecer e o processo de renovação constante.

O último evento da série será no dia 10 de dezembro, com Lia Diskin, cofundadora da Associação Palas Athena.

Tudo sobre: